UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Secretário de MG: 'Prazo menor de isolamento evita risco de colapso'

Minas Gerais deve ter pico de casos de COVID nas duas próximas semanas, segundo o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti


13/01/2022 14:02 - atualizado 13/01/2022 14:52

Fábio Baccheretti fala ao microfone durane coletiva de imprensa
Coletiva de imprensa com o Secretario de Estado da Saude, Fabio Baccheretti sobre a COVID-19 (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 14/10/2021)
''A Ômicron vai se disseminar tão rápido que os serviços essenciais vão ficar colapsados por tantas pessoas doentes''. Foi o que disse o  secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (13/1), ao comentar a orientação do Ministério da Saúde para diminuição de dias de isolamento entre contaminados.


"A discussão foi técnica pelo Ministério da Saúde. A ômicron vai disseminar tão rápido que os serviços essenciais vão ficar colapsados por tantas pessoas doentes: serviços de saúde, de transporte público, todos os serviços essenciais vão ser impactados por números de pacientes sintomáticos que não vão poder conviver entre si. Essa medida é fundamental, se não, teremos um risco grande de os serviços essenciais serem afetados", disse. 

O isolamento de casos leves e moderados de COVID-19 tem novo prazo estabelecido pelo Ministério da Saúde. A partir de agora, vale o prazo de dez dias para cinco dias do paciente completamente assintomático com testagem obrigatória, e sete dias para quem estiver há 24 horas sem sintomas e sem uso de antitérmicos. O anúncio foi feito na tarde de segunda-feira (10/1) pelo ministro Marcelo Queiroga, em Brasília.


Nessa quarta-feira (12/10, um dado chamou a atenção em Minas. O estado registrou recorde de novos casos de coronavírus em 24 horas, com 18.153 mil registros no período - o maior era de abril de 2021, com 16.479.

O estado tem um total de 2.311.318 casos confirmados desde o início da pandemia, sendo que 81.844 seguem em acompanhamento, 2.172.706 se recuperaram e 56.768 foram a óbito. O novo aumento de casos é visto com preocupação por Fábio Baccheretti.

''A expectativa nossa continua que nas próximas duas semanas a gente atinja o pico, duas três semanas, então vamos continuar subindo, com casos novos, uma contaminação muito aguda como estamos vendo." 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade