UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Mensagens de Whatsapp que falam sobre novo fechamento de BH são antigas

Rumores de que prefeito Alexandre Kalil (PSD) decretaria lockdown são falsos. Infectologistas da prefeitura não debatem assunto


07/01/2022 21:05 - atualizado 07/01/2022 23:04

Enfermaria
Apesar do crescimento da ocupação das enfermarias, PBH não prevê novo fechamento do comércio (foto: Fábio Marchetto/Agência Minas)
Diante do aumento de casos de coronavírus e da expansão da variante Ômicron, uma notícia falsa sobre o fechamento do comércio não essencial de Belo Horizonte veio à tona nesta sexta-feira (7/1). Mensagens em grupos de Whatsapp sinalizavam que o prefeito Alexandre Kalil (PSD) restringiria as atividades, a exemplo do que ocorreu no momento mais tenso da pandemia, no ano passado. No entanto, os conteúdos que circulam no aplicativo são, na verdade, antigos.

 

Algumas notícias foram compartilhadas em grupos, porém elas são datadas de 6 de janeiro do ano passado, quando BH também enfrentou expansão da doença, com aumento das contaminações e pressão sobre os leitos de UTI e enfermaria. O comércio de BH seguiu com restrições até meados de julho do ano passado, no período em que a PBH liberou gradualmente várias atividades.

 

Por enquanto, o Comitê de Enfrentamento ao coronavírus na capital não cogita novo fechamento das atividades. Uma fonte da prefeitura de Belo Horizonte informou ao Estado de Minas que os infectologistas que compõem o grupo não debatem o assunto.

Atualmente, a oferta de leitos de UTI e enfermaria em BH permite um respiro a mais para que todos os setores da economia se mantenham abertos. Nesta sexta-feira (7/1), a capital registrou 63,4% de ocupação das UTIs (está no nível de alerta amarelo) e 72,2% das vagas em enfermarias ocupadas (aparece no vermelho).

Por causa da necessidade de novos leitos para casos menos graves, a PBH expandiu a oferta de vagas para internações ao longo da semana. Atualmente, as redes pública e privada contam com 315 leitos exclusivos para o tratamento da COVID-19 - nos últimos dias, a prefeitura abriu 95 vagas para internações.

Mesmo que não exista, por enquanto, chance real de novas restrições em BH, o secretário municipal de saúde, Jackson Machado Pinto, lembra da importância de adotar as medidas preventivas.

“Continuamos com o monitoramento sistemático dos dados epidemiológicos e assistenciais na cidade. Estamos em um momento de alerta, e a Prefeitura tem atuado para continuar prestando assistência à população. Nesse momento em que há crescimento de casos respiratórios e consequente aumento nos índices, é imprescindível que a população siga as medidas preventivas, mantendo o distanciamento social, o uso correto da máscara, higienização das mãos, etiqueta da tosse e vacinação”, explica o secretário.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade