UAI
Publicidade

Estado de Minas CHUVA INTENSA

Abaeté decreta situação de emergência após 52 pessoas ficarem desalojadas

Outras nove estão desabrigadas por causa da chuva; parte das famílias foi levada para um abrigo da prefeitura


06/01/2022 17:27 - atualizado 06/01/2022 17:34

Rio Marmelada cheio
O Rio Marmelada, que corta a cidade, transbordou e inundou casas em Abaeté (foto: Reprodução/Redes Sociais)
Abaeté, no Centro-Oeste de Minas, declarou, nesta quinta-feira (6/1), estado de emergência devido à chuva. Na cidade de pouco mais de 23,1 habitantes, 52 pessoas ficaram desalojadas e outras nove desabrigadas após terem as casas inundadas na madrugada dessa quarta-feira (5/1).
O Ribeirão Marmelada, que corta o município, transbordou. Em alguns pontos, a água subiu um 1,5 metro acima do nível normal e 20 casas foram atingidas. Algumas famílias conseguiram resgatar alguns móveis, outras perderam tudo. Em um dia, choveu todo o esperado para o mês de janeiro.

Os desabrigados foram levados para o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei). “Estamos dando toda a assistência necessária”, afirma o secretário de Assistência Social, Rossine Curi Gontijo. Cestas básicas, produtos de limpeza e água potável estão sendo doados por empresas e cidadãos.

Quem tiver interesse em doar pode deixar os produtos no Cmei do Bairro São Pedro ou na Secretaria de Assistência Social, que fica na Avenida Barão do Indaiá, 612, no Centro.


Interdição de ponte

A ponte que liga os bairros Professora Maria de Lourdes Greco e São Pedro foi interditada no início da tarde de hoje. “Tem veículos passando aqui e não sabemos se houve algum dano estrutural na base. Então, por prevenção, achamos melhor interditar”, explica Gontijo.

A cidade não registrou deslizamentos e danos estruturais maiores. Ninguém ficou ferido. Equipes realizam o levamento dos danos e prejuízos. 
 
O decreto de situação de emergência foi publicado após recomendação da Defesa Civil. Com a previsão de mais chuvas para os próximos dias, fica autorizada a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação dela.

A atuação deve ser restrita às áreas afetadas incluídas no Formulário de Informações de Desastres.
 
*Amanda Quintiliano - Especial para o EM
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade