UAI
Publicidade

Estado de Minas PREOCUPAÇÃO

Mistério no sumiço de cães comunitários intriga população em Caeté

Três cachorros comunitários desapareceram há mais de 100 dias após serem vistos pela última vez no alto da Serra da Piedade, em Caeté


19/10/2021 17:27 - atualizado 19/10/2021 18:12


Faixa em Caeté. No texto, se lê 'Onde estão Pelúcia, Billy e Tuco', três cães comunitários desaparecidos
Faixa foi estendida por protetoras na entrada do Santuário Serra da Piedade que questionava onde estão os cãezinhos Pelúcia, Billy e Tuco (foto: SGPAN/Divulgação)
Pelúcia, Billy e Tuco são três cachorros muito conhecidos em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Como cães comunitários, moravam no Poliesportivo da cidade, mas já se passaram mais de 100 dias desde que eles foram vistos pela última vez, no alto do Santuário Serra da Piedade. Preocupados com o sumiço dos bichos, integrantes da Sociedade Galdina Protetora dos Animais e da Natureza de Caeté (SGPAN) foram até o pé da serra, no último domingo (17/10), e estenderam uma faixa "Onde estão Pelúcia, Tuco e Billy?".

Pelúcia e Billy têm cerca de cinco anos, enquanto Tuco é mais novo, cerca de dois anos, segundo a presidente da ONG de Proteção Animal de Caeté, Patrícia Dutra. Ela conta que, apesar de eles morarem em um local público, eram bem cuidados por moradores e pela Sociedade Galdina, que os mantinha saudáveis, com atendimento veterinário e bem alimentados. 

Na página oficial da Sociedade Galdina, a entidade informou que a suspeita é que eles foram exterminados. "Nossa suspeita é que alguém tenha matado os três", afirmaram os defensores de animais.
Cães comunitários desaparecidos em Caeté
ONG recebeu cartas anônimas com relatos de que cachorros foram mortos (foto: SGPAN/Divulgação)
 
"Conversamos sobre isso com o padre Wagner, reitor do Santuário Serra da Piedade, mas não temos provas. Por isso, pedimos a quem souber de algo que nos informe. Já recebemos cartas anônimas sobre o desaparecimento deles, mas, sem provas ou testemunhas, não temos como dar sequência às denúncias que fizemos", postou a ONG. 

A entidade protetora chegou a fazer um pedido formal à direção do Santuário Serra da Piedade para ver as imagens das câmeras de segurança, mas foi informada que não havia mais o registro das câmeras, e que o padre e algumas pessoas viram os cães no alto da serra no final de junho, mas que não os viram mais. 

A direção do santuário publicou imagens dos cães desaparecidos em suas redes sociais, na esperança de que algum peregrino ou visitante pudesse ajudar com alguma informação. Por nota, a instituição afirmou que respeita os animais. "O Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais tem como diretriz o incondicional respeito aos animais. Todos os cães avistados no alto da Serra permanecem livres para regressarem aos seus tutores, lembrando que o santuário é vizinho de muitas propriedades rurais, habitadas por famílias que têm seus animais domésticos criados livremente”.

História 

Pelúcia, Billy e Tuco eram cães comunitários cuidados pela Sociedade Galdina Protetora dos Animais e da Natureza de Caeté  e por moradores. Eles viviam no Poliesportivo e andavam por boa parte da cidade. Eram muito conhecidos, e seu desaparecimento comoveu muitas pessoas. 

Segundo a Sociedade Galdina, no dia 27 de junho eles seguiram caminhantes até o alto da Serra da Piedade e não desceram com eles. Ficaram por lá, e foram vistos por mais dois dias.

"Nunca mais tivemos nenhuma notícia. Recentemente, tivemos a informação de uma pessoa que viu a Pelúcia babando lá no alto da Serra, no final de junho, mas essa pessoa não quer testemunhar", relatou a SGPAN, que postou em suas redes todos os ofícios que mandou para o santuário com várias perguntas sobre os cães.  O Santuário é uma área de reserva ambiental e, por isso, não pode ter cães e gatos.

Se você viu os cães e pode ajudar com alguma informação o número de telefone de contato é (31) 99269-6477.

Leia a nota de esclarecimento do Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade na íntegra:

“O Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais tem como diretriz o incondicional respeito aos animais. Todos os cães avistados no alto da Serra permanecem livres para regressarem aos seus tutores, lembrando que o Santuário é vizinho de muitas propriedades rurais, habitadas por famílias que têm seus animais domésticos criados livremente. 

Há muitos anos, dois cães sem raça definida que chegaram ao Santuário recebem os cuidados dos nossos colaboradores. Os padres também cuidam de outro cão sem raça definida. Os animais são mantidos em liberdade. Sobre os cães que estão sendo procurados por protetores dos animais de Caeté, o Santuário sempre se colocou à disposição para colaborar com os trabalhos de localização. 

Publicou imagens dos cães desaparecidos em suas redes sociais, na esperança de que algum peregrino ou visitante pudesse ajudar com alguma informação. Todos aqueles que procuram pelo Santuário para tentar encontrar os cães em seu território foram acolhidos. As informações solicitadas por entidade protetora dos animais de Caeté já foram partilhadas. 

Lembramos: o Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade é reconhecido por seu trabalho dedicado à defesa da casa comum, especialmente aos seres vivos que habitam a Serra da Piedade.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade