UAI
Publicidade

Estado de Minas TROMBA D'ÁGUA

Chuva deixa rastro de destruição em Ouro Preto; veja vídeo

Choveu 220 milímetros na cidade; centenas de moradores ficaram desalojados em ao menos 5 distritos, principalmente em Amarantina e Cachoeira do Campo


19/10/2021 07:26 - atualizado 19/10/2021 17:31

Enchente no distrito de Amarantina, em Ouro Preto, região Central de Minas
Chuva do tipo 'tromba d'água' inundou os distritos de Amarantina, Cachoeira do Campo, Miguel Burnier, Santo Antônio do Leite, entre outros, de Ouro Preto (foto: Prefeitura de Ouro Preto/Divulgação)
O temporal dessa segunda-feira (18/10) provocou inundações em Ouro Preto, na Região Central de Minas.

Segundo a Defesa Civil estadual, choveu 220 milímetros em poucas horas na cidade. Houve transbordamento do Rio Maracujá, que passa pelos distritos de Amarantina e Cachoeira do Campo, o que causou diversos estragos. 



Segundo o órgão, até a meia-noite, havia mais de 25 famílias desalojadas em Amarantina. Parte dos desabrigados foi acomodada na Escola Municipal Major Raimundo Amarantina. Em algumas residências, os moradores tiveram que subir em telhados para não serem levados pela enxurrada.

Em Cachoeira do Campo, o nível da água nas ruas alcançou mais de 1,5 metro em poucos minutos. Os habitantes ficaram ilhados, perderam móveis e eletrodomésticos. Um rio de lama tomou conta das ruas. Máquinas trabalharam na área atingida durante quase toda a manhã para fazer a limpeza. 

A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros também registraram estragos nos distritos de Santo Antônio do Leite, Antônio Pereira e Miguel Burnier.

O secretário de Obras de Ouro Preto, Tonico Simões, falou sobre o caso nas redes sociais: “A situação é bem crítica, muitas pessoas desabrigadas, máquinas. Agora chegou o auxílio dos bombeiros, da Brigada Municipal de Itabirito.”, contou o dirigente.

Triângulo e Rio Doce

Uberlândia, no Triângulo Mineiro, também vem sendo castigada pelos temporais. Segundo a Defesa Civil da cidade, no último domingo, em apenas 30 minutos, choveu 59 milímetros, ou seja, 50% do esperado para todo o mês. Os ventos chegaram a 73 km/h. 

Em menos de três dias, o Corpo de Bombeiros atendeu 11 ocorrências de enxurradas, destelhamentos e alagamentos, 30 quedas de árvore, além de destruição do asfalto em quatro  pontos da cidade.  Equipes da prefeitura passaram todo o dia limpando bocas de lobo e fazendo reparos estruturais.

Na manhã de ontem, uma criança de dez teve parada cardíaca após ser atingida por uma descarga elétrica. Ela está entubada e o quadro estável.

Em Piedade de Caratinga, no Vale do Rio Doce, a chuva inunda ruas desde domingo. A água barrenta chegou a invadir casas e lojas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade