UAI
Publicidade

Estado de Minas TRIÂNGULO MINEIRO

Servidora não aplica vacina e prefeitura investiga se houve má-fé

Em Uberlândia, colaboradora era filmada e na primeira tentativa de aplicação de vacina contra a COVID-19 em idoso, ela não injeta o imunizante


02/10/2021 18:55 - atualizado 02/10/2021 20:55

Mulher 'aplicando' vacina em idoso
Momento em que a aplicação é feita incorretamente (foto: Reprodução/Redes sociais)
A Prefeitura de Uberlândia investiga se houve má-fé ou imperícia de colaboradora que não injetou vacina contra a COVID-19 em um idoso. O momento foi flagrado pelo genro do homem em vídeo e, depois de ser questionada, a mulher fez a aplicação corretamente.



O caso aconteceu quando o idoso foi levado para receber a dose de reforço de imunizante contra o coronavírus, por meio de drive-thru. No vídeo, é possível ver que a mulher, que nunca é identificada, mostra a vacina, mas na hora de aplicar não pressiona o êmbolo da seringa, embora ela tenha furado o braço do idoso com a agulha.
 
 
Assim que a seringa foi retirada, o homem que gravava o vídeo perguntou sobre o líquido na embalagem. Há um momento de pequena confusão, em que a aplicadora não sabe o que dizer. “Por que, não foi? Parece que não deu certo essa. Não quer tentar outra?”, questiona o genro do idoso. “Não é isso, não”, responde a mulher, antes de aplicar corretamente a vacina em nova tentativa.

Em seguida, ela fez o procedimento padrão, pressionando o êmbolo, e voltou a mostrar a seringa já vazia. “Na segunda é que deu certo, né?”, ainda comenta o homem que gravava o vídeo.

A colaboradora faz parte do time de uma das organizações de saúde que prestam serviço para o município. Ela não seguiu trabalhando após a prefeitura ter sido notificada.

Em vídeo, o coordenador da rede de urgência e emergência de Uberlândia, Clauber Lourenço, confirmou que houve um procedimento incorreto. “Uma de nossas colaboradoras cometeu sim uma falha técnica ao administrar imunizante em um idoso. Logo na sequência ela corrigiu a falha técnica, o que foi presenciado por várias pessoas, e esse idoso recebeu  seu imunizante.”

O município ainda informou que apura o caso. “De toda forma, a falha deve sim ser verificada. Então, já notificamos a organização de saúde e já cobramos que se siga o protocolo vacinal: que é primeiro aspirar a vacina, na sequência mostrar o imunizante dentro da seringa, fazer a aplicação e depois mostrar a seringa vazia ao paciente”, diz Lourenço.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade