UAI
Publicidade

Estado de Minas NO CENTRO DA CIDADE

Risco de desabamento de prédio leva a interdição em Divinópolis

Defesa Civil aguarda laudos de engenheiro e geólogo para saber se haverá necessidade de demolição dos imóveis


17/09/2021 17:36 - atualizado 17/09/2021 17:43

Os imóveis interdidados ficam em uma região de grande movimento de carros e pedestres em Divinópolis
Os imóveis interdidados ficam em uma região de grande movimento de carros e pedestres em Divinópolis (foto: Divulgação/Prefeitura de Divinópolis)

A Defesa Civil aguarda laudos técnicos para avaliar os riscos e decidir se será necessário demolir imóveis interditados em uma das principais ruas de Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas. A interdição de uma casa, um prédio com 11 apartamentos e duas lojas, ocorreu após moradores relatarem um estrondo que teria culminado em rachaduras.

Uma nova vistoria foi realizada no local pelo Corpo de Bombeiros junto com órgãos municipais. A Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (Settrans) interditou, nesta quinta-feira (16/9) a calçada e parte da via em frente aos imóveis, localizados na Rua Goiás entre Mato Grosso e Maranhão, em uma região movimentada no centro da cidade. Bem próximo, fica um ponto de ônibus.

Além das vistorias, a Defesa Civil notificou o condomínio para que apresentasse o laudo e anotação de responsabilidade técnica (ART) do engenheiro por eles contratados. O condomínio também está contratando um geólogo para realizar avaliação do solo.  

“Eles devem apresentar os laudos para gente e têm que tomar as providências, se irá demolir, se irá fazer reparo. E a Copasa foi acionada a apresentar para gente os laudos dela”, disse o secretário de trânsito, Lucas Estevam.

Uma das suspeitas é que um vazamento de água possa ter provocado os danos. “A gente não sabe se ali, antigamente, tinha nascente. Estamos pegando o mapa hidrográfico de Divinópolis para estudar, saber se passava algum córrego antes das construções”, explicou o secretário. Só com os documentos em mãos será possível identificar as causas e a responsabilização.
 
A Copasa confirmou o vazamento de água na região e informou que, assim que tomou conhecimento da situação, contratou uma empresa independente para elaboração de perícia técnica. O laudo ainda não foi concluído. 

A vistoria desta quinta-feira (16/9) foi estendida a outros imóveis do quarteirão. “Fizemos vistoria e ela não apresentou nenhuma anomalia. Os moradores estão observando e se aparecer alguma trinca, rachadura, vão entrar em contato”, afirmou Estevam. Ao lado, há outros prédios e lojas comerciais, além do ponto de ônibus.


Ocorrência

Laudo dos bombeiros apontou risco iminente de desabamento
Laudo dos bombeiros apontou risco iminente de desabamento (foto: Divulgação/Prefeitura de Divinópolis)

O primeiro imóvel a ser interditado foi uma casa e duas lojas no dia 26 de agosto. A ação ocorreu após denúncias de vizinhos. No local, o Corpo de Bombeiros constatou rachaduras, rebocos caindo, trincas e risco iminente de desabamento. A Defesa Civil foi acionada para a devida interdição e notificação dos moradores.

Na sequência, o prédio com 11 apartamentos também foi desocupado. Alguns moradores estão provisoriamente em casa de parentes, e sítios. As lojas foram realocadas em outras unidades no município.

*Amanda Quintiliano especial para o EM


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade