UAI
Publicidade

Estado de Minas LEVANTAMENTO

Minas em chamas: veja os principais focos de incêndio no estado

Incêndios se propagam por todo o estado e fogo se alastra por plantações, pastos e matas, mobilizando bombeiros até de outros estados


09/09/2021 16:58 - atualizado 09/09/2021 17:54

Bombeiros atenderam a mais de 700 incêndios no feriado da Independência
Bombeiros atenderam a mais de 700 incêndios no feriado da Independência (foto: Corpo de Bombeiros de MG/Divulgação)

Até o final da manhã desta quinta-feira (9/9), segundo informações divulgadas pelo Corpo de Bombeiros, os efetivos combatiam grandes frentes de incêndios em Minas Gerais. Em Prados, próximo à Serra do São José, o fogo atingiu propriedade rural e avançou para a área de preservação ambiental. 
 
Militares do Corpo de Bombeiros de São João Del-Rei e brigadistas do Instituto Estadual de Florestas (IEF) realizaram combate ao incêndio de grandes proporções que atingiu uma área rural na Rodovia Capitão Anselmo, que liga a MGC-383 a cidade de Prados. 


No local, as chamas chegaram até a área de plantio de milho e se espalharam para os arredores, chegando à Serra. Os bombeiros trabalharam ao lado de brigadistas do IEF para conter as chamas por toda a tarde de segunda-feira (6/9). Os trabalhos permaneceram no local e os bombeiros contaram com  apoio de aeronaves próprias para combate a incêndios em vegetação.
 
De acordo com o tenente Guimarães, comandante do 2º Pelotão de Bombeiros de São João Del-Rei, “com a queda na temperatura durante a madrugada, os focos diminuíram. Por isso, é fundamental que as ações sejam retomadas o quanto antes, evitando as altas temperaturas do meio da manhã e início da tarde, quando as chamas ganham intensidade”. 
 
Segundo Guimarães, “há a expectativa de conseguirmos eliminar todos os focos no dia de hoje. Porém, mesmo após a extinção das chamas, equipes serão mantidas no local para evitar o risco de reignição”. 
 
O último levantamento, feito na noite de ontem (8/9), estimou que a área queimada já passava dos 800 hectares. O incêndio começou na tarde de domingo (5/9) na área rural de Prados e se espalhou rapidamente, atingindo a Serra de São José no dia seguinte.
 
Na Serra da Mantiqueira, Base do Marins, o Corpo de Bombeiros iniciou trabalhos de monitoramento e combate,  desde as primeiras horas da manhã. Na noite anterior, uma equipe conseguiu combater um foco encerrando as atividades à 1h da manhã. Air tractor ficou disponível.  O incêndio teve início no na segunda-feira (6/9) e mobilizou um efetivo de 30 militares. Há previsão de chegada de militares do Espírito Santo. 
 
Em Brasópolis, onde o primeiro foco foi registrado na segunda, na manhã de hoje os militares foram divididos em três equipes. Duas atuando no ponto no qual terminaram as atividades de combate direto no dia anterior. A outra irá tentar achar um novo ponto de acesso, com melhores condições de monitoramento. Segundo os bombeiros é de dificil comunicação por telefone ou rádio. 
 
Em Marmelópolis, na Serra da Mantiqueira, foi registrado um incêndio no sábado (4/9), no Bairro Sertão (zona rural), em vegetação mista (pasto, plantação de eucalipto e mata de reserva florestal), com uma área atingida de 40 alqueires, equivalente a 193,6 ha (1.936.000 m²).
 
Militares de Minas Gerais iniciaram o combate ao fogo na região, em conjunto com homens do Exército Brasileiro, bombeiros militares do estado de São Paulo,  guias da região e brigadistas. O incêndio avança em duas grandes frentes (sentido Marinzinho e sentido Itaguaré). As aeronaves do estado de SP realizam o sobrevoo no local e as equipes estão sendo distribuídas em campo para a realização do combate direto às chamas.
 
No Triângulo Mineiro
 
Bombeiros continuam combate incêndio em vegetação no município de Gurinhatã, região do Triângulo Mineiro. O fogo teve início na manhã de quarta-feira (8/9) em um canavial e acabou se espalhando pelas pastagens, às margens da BR-364, e atingindo a Serra dos Patos.
 
Os primeiros combates ao fogo foram realizados por moradores das propriedades adjacentes, que lançaram mão de tratores com reboques de tanques de água. Com a chegada dos bombeiros, as ações foram coordenadas para enfretamento às chamas na face leste da serra, sendo controlado no fim da tarde. 
 
O terreno extremamente íngreme e a grande dispersão de focos do incêndio dificultam o combate direto as chamas, sendo difícil acessar as áreas de interesse. No início da noite ontem as atividades foram suspensas devido ao risco oferecido pelo terreno e o fogo agora se alastra com velocidade menor, e retomadas hoje pela manhã. 

Estima-se uma área queimada até então de 12,1 hectares (sendo metade deles sobre a serra) em terras planas de pasto e plantio, além de uma extensão de aproximadamente 3 quilômetros de extensão da face leste da serra e parte da face oeste.
 

Bombeiros divulgam balanço de combate a incêndios durante feriado


Serra Negra

Durante 10 dias, equipes do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) estiveram em ação direta no combate ao incêndio na estância de Serra Negra, no município de Patrocínio. Militares de Patrocínio, Patos de Minas, Uberaba, Uberlândia e Belo Horizonte foram designados para a ação que contou com helicóptero e cerca de 25 homens diariamente.

None
(foto: Corpo de Bombeiros de MG/Divulgação)

 
O incêndio localizou-se em uma área de mata fechada, íngreme e de difícil acesso, sendo necessário o deslocamento da tropa através de aeronave. No local, foi montado o Sistema de Comando de Operações - SCO, de onde era realizado todo planejamento, monitoramento e comando. Além de aeronave, a equipe contava com recursos tecnológicos, como drone e monitoramento via satélite.
 
As características do incêndio dificultaram as ações de combate, uma vez que a distância entre os focos exigia que as equipes fossem remanejadas de acordo com as evoluções das frentes de incêndio.
A área atingida pelo incêndio foi de cerca de 880 hectares, sendo na maioria vegetação rasteira e algumas árvores. Após a extinção dos focos, as equipes do Pelotão de Bombeiros de Patrocínio continuaram com monitoramento do local, tendo em vista as possibilidades de reignição.
 

Incêndios simultâneos

 
Durante o feriado de 7 de setembro, de acordo com o Balanço realizado pela Sala de Imprensa, foram registados no sistema CAD, no período compreendido entre 0h de sábado até às 18h de terça-feira (7), um total de 738 solicitações relacionadas a incêndios em vegetação em todo o estado de Minas Gerais.
 

Tupaciguara

Incêndio iniciado na sexta-feira (3/9), em plantação de cana, em três áreas de preservação permanente (mata fechada e área de pastagens). Houve o apoio de 12 caminhões-pipa de 15 mil litros cada, uma pá carregadeira, uma patrola e 30 brigadistas dos municípios próximos. Devido à fumaça, foi necessário o fechamento dos dois sentidos da rodovia, por cerca de uma hora, para evitar acidentes. A área queimada é de aproximadamente 300 hectares.

Ituiutaba

Incêndio de grandes proporções na Reserva do Capão da Lagoa iniciado no sábado (4). O fogo atingiu uma vasta área na reserva do Capão da Lagoa no bairro Drumond. A princípio, o fogo que estava na vegetação rasteira, evoluiu para incêndio de copa e destruiu grande parte da vegetação. 

Januária/ Cônego Marinho

Incêndio iniciado no sábado (4/9) e encerrado na segunda (6/9), na comunidade Limoeiro, zona rural de Cônego Marinho, no Norte de Minas, em área rural não protegida. Os bombeiros priorizaram o controle do fogo no perímetro para a segurança da propriedade da fazenda, bem como a área de pasto e proteção dos animais (gado/cavalo). Foram utilizados sopradores, bombas costais, material de sapador (enxada, pás e foice), bem como o uso de abafadores.

Também foi construído aceiro progressivo, ataque direto aos focos e ataque indireto flanqueando a linha de fogo até ele ser extinto próximo a barreiras naturais como pedras e cascalho da região. O terreno no local é de difícil acesso para combate, considerando os aclives e vegetação fechada.

Foram empenhados cinco bombeiros, cinco brigadistas do ICMbio e moradores da região. Na segunda (6/9), a força-tarefa recebeu o reforço de mais 10 bombeiros que retornaram ao local para monitoramento e combate aos focos.
 

Mangabeiras/BH

Incêndio em vegetação no Parque das Mangabeiras. Foram empenhadas quatro viaturas e houve o apoio de brigadistas. A linha de fogo que mais ameaçava foi extinta nas primeiras horas, mas alguns focos em locais muito íngremes e de difícil acesso continuaram. Por isso, foi montado um posto de comando e algumas equipes permaneceram no local durante toda noite, realizando o monitoramento desses focos. Os trabalhos foram retomados na manhã seguinte e o combate permaneceu até o dia 6.
 
Bombeiros e brigadistas tiveram o apoio de uma aeronave do Instituto Estadual de Florestas (IEF), com lançamento aéreo de água em pontos estratégicos, com capacidade para 400 litros.
 

Serra da Gandarela/ Rio Acima

 
O fogo teve início na vegetação às margens da Estrada Real. As chamas se alastraram rapidamente para a área da serra e o incêndio ganhou força e se propagou pela região.
 
Conforme relatos, um indivíduo não identificado teria passado às margens da via ateando fogo. No primeiro dia, a informação era de cinco focos de incêndio em pontos distintos na base da Serra da Gandarela.
 
Na segunda-feira (6/9), três equipes de bombeiros totalizando 12 militares trabalharam no combate às chamas no município de Rio Acima, debelando o fogo e monitorando o local para possíveis reignições.

 
Fonte: Sala de imprensa/Cobom
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade