UAI
Publicidade

Estado de Minas MEIO AMBIENTE

Peixes mortos aparecem boiando em rio de Itapecerica

Órgãos ambientais falam em evento natural, mas analisam se houve derramamento de poluidores


16/08/2021 19:25 - atualizado 16/08/2021 19:30

Os peixes mortos foram encontrados em um rio na comunidade rural de Itapecerica(foto: Divulgação/Reprodução WhatsApp)
Os peixes mortos foram encontrados em um rio na comunidade rural de Itapecerica (foto: Divulgação/Reprodução WhatsApp)
Peixes mortos apareceram boiando em um trecho do rio que corta a comunidade de Sucupira, na zona rural de Itapecerica, no Centro-Oeste de Minas Gerais. Imagens foram registradas por um internauta.

O auxiliar de manutenção e edificações Ítalo Gomes foi levar o filho para pescar no rio Velho, como é conhecido, nesse domingo (15/8), quando foi surpreendido com a cena.  “Cheguei lá e me deparei com essa situação. Uma tristeza. Desanimei e voltei para trás”, contou. 

Entre os peixes mortos identificados por ele estavam piabas, tabarana e curimbatá. “Pela decomposição, vem ocorrendo há mais tempo. É uma imagem bem triste. Peixes agonizando”, relatou. O vídeo foi compartilhado nas redes sociais cobrando providências dos órgãos ambientais.

O rio Velho se encontra com o ribeirão Vermelho – que corta a área urbana de Itapecerica, na zona rural. A confluência dele com outros dois ribeirões dá origem ao Rio Itapecerica que é responsável pelo abastecimento de quase 90% de Divinópolis, a 45 quilômetros dali.


Análise da água


A Superintendência de Meio Ambiente da prefeitura esteve no local para averiguar a situação. A suspeita é de um evento natural, chamados de inversão térmica. "A mistura com a matéria orgânica à água, e pouca quantidade de água e mais quantidade de esgoto, aí acontece essa mortandade, porque abaixa o nível de oxigênio”, explicou a superintendente da pasta, Ana Carolina Mello.

As primeiras ocorrências foram constatadas no início da semana passada próximo ao distrito de Lamounier. A superintendente disse que, até o momento, não foi detectado nenhum vazamento de poluidores

A possibilidade teria sido descartada junto a uma empresa da cidade. Equipes também estiveram na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do município para averiguar. “Estão sendo feitas as análises para saber o que está acontecendo”, afirmou Ana Carolina.

A Polícia Militar Ambiental deverá, ainda esta semana, visitar o local. Inicialmente, o órgão trata como natural para a época do ano devido a mudança de temperatura.

De acordo com a polícia, ocorrência similar foi registrada no Rio Pará, em Pitangui, na mesma região. Foi feita análise da água pela Copasa e nenhum derramamento de poluição foi confirmado. “Mesmo assim vamos olhar para confirmarmos se não houve algum derramamento por alguma empresa”, informou a polícia ambiental.

*Amanda Quintiliano especial para o EM


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade