UAI
Publicidade

Estado de Minas 'MUITA ALEGRIA'

Quilombo de Pedro Leopoldo recebe demarcação após 12 anos na Justiça

Comitê do Incra-MG aprova relatório e reconhece, de forma preliminar, território de mais de 222 hectares


03/08/2021 17:43 - atualizado 03/08/2021 18:08

Igreja localizada dentro do Quilombo Pimentel
Igreja localizada dentro do Quilombo Pimentel (foto: Prefeitura de Pedro Leopoldo/Divulgação)
Valdemar do Nascimento, o último neto vivo de um homem escravizado que veio de Angola para trabalhar na Fazenda Santa Rita, teve a notícia mais esperada dos 87 anos de vida. Publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (3/8), o integrante do quilombo Pimentel, localizado em Pedro Leopoldo, recebeu o resultado dos estudos de identificação e delimitação que reconhece de forma preliminar um território de mais de 222 hectares pertencente à comunidade quilombola.
 
O Comitê de Decisão Regional do Instituto de Colonização e Reforma Agrária (Incra-MG) aprovou o Relatório Técnico de Identificação e Delimitação (RTID) que estava parado há dois anos e, só após uma ação ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF), por meio da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão, recebeu a devida atenção.
 
De acordo com a publicação do DOU, foi realizada uma reunião no dia 7 de maio e o reconhecimento em caráter preliminar identificou, dentro do território, oito fazendas que ocupam a área recebida pelo avô de Valdemar do dono da Fazenda Santa Rita, pelos anos trabalhados.
 
Valdemar conta que, desde pequeno, vê os limites da terra serem invadidos e que o pouco acesso aos estudos e às leis fez a família de 14 irmãos crescer na esperança de ver a terra demarcada. No entanto, com o passar dos anos, os parentes morreram e só sobrou ele dos mais velhos para comemorar o resultado do processo administrativo que tramita há 12 anos na Justiça.
 
“Sabemos que ainda vão apresentar a defesa deles, mas mesmo assim vejo com muita alegria. Pela idade que tenho quero acompanhar até o final e ver em vida a terra da gente. Desde de novinho sabemos que a terra é nossa, mas agora é que conseguimos o primeiro passo para o reconhecimento da demarcação”, afirmou Valdemar.
 
Na publicação do DOU, os detentores de títulos de domínio das áreas limítrofes do Quilombo Pimentel terão 90 dias para apresentar as contestações.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade