Publicidade

Estado de Minas 'ACELERA CARLOS CHAGAS'

Cidade mineira anuncia R$ 6 milhões em obras para superar crise da COVID

Pacotão de obras foi apresentado pela prefeitura, e prevê R$ 2 milhões só para pavimentação de estradas; prédio da administração e escolas serão reformados


02/08/2021 16:04 - atualizado 02/08/2021 16:22

Pacote de investimentos deve transformar Carlos Chagas em um
Pacote de investimentos deve transformar Carlos Chagas em um "grande canteiro de obras", segundo a prefeitura (foto: Polícia Militar de Minas Gerais/Divulgação)
Carlos Chagas, cidade com menos de 20 mil habitantes do interior mineiro, pretende amenizar os impactos da pandemia do novo coronavírus com o que chama de "maior pacote de investimentos nos últimos tempos da história" do município. Estão previstas intervenções em urbanismo, pavimentação - o que inclui a criação de novos espaços públicos.

"Nesta primeira etapa, vamos fazer obras que chamo de 'estruturantes'. Mas, a ideia é que também possamos olhar para a agricultura familiar e geração de empregos de uma maneira geral. Cada coisa a seu tempo", afirma o prefeito da cidade do Vale do Mucuri, José Amadeu Nanayoski Tavares (PSD).
 
Chamado de "Acelera Carlos Chagas", o programa não vai ser custeado apenas com dinheiro do caixa da administração, mas também emendas e outras fontes de captação.
 
Entre as obras previstas, estão a pavimentação e recuperação de estradas, que consomem a maior parte da verba (R$ 2,5 milhões). Segundo o projeto, quatro quilômetros de estradas (que ligam a região Central da cidade aos distritos de Epaminondas Otoni e Presidente Pena, por exemplo), e outras vias de acesso.
 

Praças, banheiros, escolas e mais 

 
Além da construção de praças com parques para crianças e idosos, a prefeitura também pretende investir R$ 700 mil na construção de banheiros públicos, especialmente nos bairros Olaria e Colina Verde.
 
As reformas de escolas, que já começaram a ser feitas, também estão incluídas no programa, ao custo de R$ 564 mil. Novas pinturas, ajustes estruturais e troca de mobiliário estão previstas.
 
Outra obra, que deve consumir cerca de R$ 450 mil, é a "reconstrução" da sede da prefeitura. O próprio prédio, telhado e os banheiros são reformados, além da troca da fiação elétrica, rede de computadores, telefonia e sistema de proteção contra raios. 
 

Até 2023 

 
Não há um prazo para a conclusão "geral" dessa primeira fase do projeto, já que cada obra tem andamento diferenciado, mas a expectativa é que a maioria dos projetos seja concluído em até dois anos.
 
"A ideia é que o plano também englobe outras áreas, como a geração de empregos. Isso tudo em próximas etapas. Estamos finalizando um projeto relacionado a agricultura familiar, que devemos apresentar ainda semana", complementa o prefeito.
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade