Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

Marido mata a mulher e fica esperando a chegada da polícia, em Mantena

O mecânico contou aos policiais que teve um desentendimento com sua esposa, a cabeleireira Werica de Oliveira, pegou uma faca e golpeou a mulher até a morte


01/08/2021 11:24 - atualizado 01/08/2021 11:36

Os vizinhos do casal foram para a rua acompanhar a ação dos policiais durante a prisão do mecânico(foto: Reprodução Facebook Roberto Higino)
Os vizinhos do casal foram para a rua acompanhar a ação dos policiais durante a prisão do mecânico (foto: Reprodução Facebook Roberto Higino)
Incomodados com os gritos de uma mulher, que estaria sendo agredida pelo marido, em mais uma briga do casal, os vizinhos de um mecânico de automóveis e uma cabeleireira, chamaram a polícia para intervir na briga e evitar o pior. O caso foi registrado em Mantena, Leste de Minas.

A briga aconteceu na tarde desse sábado (31/7), na Rua T, Bairro Boa Esperança. Os policiais foram rapidamente ao endereço apontado pelos vizinhos e, quando chegaram, foram recebidos pelo mecânico, acusado de ser o agressor da cabeleireira, que estava indiferente ao que havia acontecido.

Ele convidou os policiais para entrar na casa e os levou até a sala, onde a esposa, Werica de Oliveira, estava caída em cima de uma poça de sangue. Friamente, ele contou que havia se desentendido com a mulher. Pegou uma faca “peixeira”, com cabo de madeira, e desferiu vários golpes na companheira.

Os policiais revistaram o homem e a residência do casal. Encontraram a faca, com manchas de sangue. Enquanto o homem confessava o crime aos policiais militares, médico e paramédicos do Samu chegaram e examinaram o corpo, constatando a morte da cabeleireira.

A mãe de Werica foi chamada pelos vizinhos para buscar as duas crianças, filhas do casal (um menino e uma menina), que aguardavam a chegada da avó, na casa de uma vizinha de seus pais. Muito emocionada, a avó teve de ser amparada por pessoas que estavam na porta da casa onde aconteceu a tragédia.
 
O mecânico não detalhou aos policiais os motivos que o levaram a cometer o crime, se limitando a dizer que foi um "desentendimento conjugal". Ele recebeu voz de prisão em flagante pelo crime de feminicídio e foi conduzido pela Polícia Militar à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), de Governador Valadares, distante 145 quilômetros de Mantena.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade