Publicidade

Estado de Minas REENCONTRO

Emoção: avô reencontra netas após quatro meses internado pela COVID-19

O avô superou quadro gravíssimo de COVID-19 e há mais de quatro meses não via as netas gêmeas; reencontro faz parte de surpresa no Dia dos Avós


26/07/2021 17:13 - atualizado 26/07/2021 19:21

Avô reencontra netas após quatro meses internado pela COVID-19 (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Avô reencontra netas após quatro meses internado pela COVID-19 (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Um paciente internado por complicações da COVID-19 há quatro meses reencontrou suas netas na tarde desta segunda-feira (26/07) em Belo Horizonte. Miguel Domingos Santos, com 63 anos, é avô de gêmeas e desde março não via as crianças. 

O encontro foi organizado pela equipe do Hospital Paulo de Tarso, no Bairro São Francisco, onde o idoso está em reabilitação após superar um quadro gravíssimo de COVID-19. O avô passou por sedação, sofreu parada cardíaca, chegou a ser entubado e, ainda, ficou em coma profundo por 44 dias. 

"Precisamos ter fé em Deus, dar carinho a todo o momento e nunca perder a esperança"

Maria Benedita, esposa de Miguel



Após abraçar as netas, Miguel disse depositar sua esperança na sua espiritualidade. Segundo ele, é da fé que vem sua força. “A força vem de Deus, ele que me dava força. Não desesperei em momento algum”.  

Ao se referir às gêmeas, o avô comenta emocionado: “Essa é minha benção, a benção que Deus me deu”. 

Para a netinha Sofia, o momento agora é de ansiedade pela melhora do avô e já criou planos para depois da alta médica. “A gente vai para a praia comer açaí, tomar picolé. Vamos no parque de diversões e ir para a piscina”.

Coragem é assunto de família 


Miguel possui um vínculo familiar muito forte. Casado há 37 anos, é pai de dois filhos e avô de duas netas gêmeas, Sofia e Joana, de seis anos. 

Segundo a esposa, Maria Benedita Lima, de 62 anos, os últimos meses foram muito difíceis para a família. Ainda no início da luta contra o vírus, em três momentos diferentes ela e os filhos foram chamados no hospital para se despedirem do familiar.  

No mesmo período, outras vinte pessoas testaram positivo para COVID-19 na família. Mateus Viana Lima Santos, de 35, filho de Miguel, conta que um tio próximo faleceu por conta da doença. 
 

"Eu ouvi várias vezes que meu pai não tinha salvação mais"

Mateus Viana, filho de Miguel

 

Entretanto, mesmo com tantos desafios, a família depositou sua esperança na fé e na companhia um dos outros. “Precisamos ter fé em Deus, dar carinho a todo o momento e nunca perder a esperança”, compartilhou a esposa, que está há 86 dias ao lado do marido no hospital.

Para a psicóloga responsável, Gisele Dornelas, a questão da família é um valor muito forte para o paciente. Assim que ele retomou a fala, pediu para ver as netas. “A primeira coisa que ele falou foi a questão da saudade”, comenta. 

Miguel foi transferido para o Hospital Paulo Tarso após três meses internado em estado grave no Hospital Célio de Castro. Segundo a família, quando chegou à reabilitação, ele não conseguia movimentar o corpo sozinho. 

Hoje, ele já se alimenta sem ajuda, vira na cama e em breve começará os exercícios para voltar a caminhar. 

Reencontro que traz esperança 


O encontro foi organizado como surpresa para o Dia dos Avós, celebrado nesta segunda-feira (26/7). O objetivo de encontros como estes é incentivar o paciente a continuar na luta pela reabilitação. 

“O paciente volta a sonhar, ele vê que tem alguém esperando por ele”, expõe a psicóloga, que enfatiza como o emocional reflete na melhora do quadro clínico.    






receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade