Publicidade

Estado de Minas DRAMA AO RELENTO

Moradores de rua sofrem com frio e encontram apoio em voluntários

Grupo de voluntários de Lagoa Santa identificou cerca de 30 pessoas que vivem em situação de rua na cidade e passam as noites de inverno ao relento


13/07/2021 18:04 - atualizado 13/07/2021 20:05

Moradores em situação de rua sofrem (ainda mais) quando as temperaturas despencam (foto: Foto ilustrativa - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Moradores em situação de rua sofrem (ainda mais) quando as temperaturas despencam (foto: Foto ilustrativa - Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Seria poesia dizer que o teto é o céu e as luzes são das estrelas, mas a realidade passa bem longe de qualquer beleza artística. O drama para quem tem que suportar, ao relento, as noites de frio fez com que um grupo se sensibilizasse em Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.
 
São os voluntários que formam o Anjos do Bem de Lagoa Santa, responsável por tentar amenizar as dificuldades dos moradores em situação de rua que tiveram de enfrentar, por exemplo, o frio de 12ºC na madrugada desta terça (13/7).

A ideia começou ganhar forma em 2017, quando era identificado como Grupo da Sopa e Agasalho ao visitar praças, construções inacabadas e abandonadas para oferecer alimentos, agasalhos e cobertores.
 
Hoje, a organização atende cerca de 30 moradores em situação de rua que vivem pela cidade. Alessandra, de 35 anos, é uma das pessoas amparadas pelo grupo. A voluntária Patrícia Fonseca conta que o sobrenome na carteira de identidade deixou de existir há muito tempo para homens e mulheres que vivem ao relento.
 

'Temo pela saúde' 

 
Alessandra, por exemplo, divide uma construção abandonada com o companheiro e mais 11 pessoas. Ela tem quatro filhos, mas não vive com nenhum deles. Os três mais velhos - de 8, 5 e 3 anos - estão com parentes diversos: família do pai, mãe e prima da Alessandra, respectivamente. A mais nova, de 1 ano, está sob guarda provisória do Conselho Tutelar.
 
A voluntária sempre encontra com Alessandra nos dias que vai levar alimentos e afirma que a moradora em situação de rua está debilitada. Ela apresenta quadro de anemia que teve início na gravidez, há mais de um ano, e se agravou devido ao consumo de drogas. “Agora com as temperaturas baixas temo pela saúde dela”.
 

Anjos do Bem 

 
O grupo ainda não tem um local para abrigar os moradores em situação de rua nas noites de frio, assim como oferecer alimento, suporte psicológico e higiene básica. Mas Patrícia Fonseca afirma que essa é uma das metas da precursora da ação, Rita de Cássia.   
 
"Rita sempre viveu em solidariedade aos moradores em situação de rua e essa vocação foi herdada dos pais. Além dela, outros também sonham em alimentar todos os moradores em situação de rua. Dona Rita entrega marmitex feitos com a comida que vem do seu restaurante, mas vemos que as necessidades deles são maiores no inverno".
 
Quem quiser participar do Anjos do Bem ou contribuir de alguma forma, pode entrar em contato pelo telefone (31) 99718-2011. Os interessados também podem acessar a página do grupo no Instagram aqui
 

Centro Pop 

 
A Prefeitura de Lagoa Santa também oferece algum suporte para esse público com o Serviço Especializado para Pessoas em Situação de Rua - Centro Pop. Por lá, são ofertados atendimento psicossocial, além de banho, higienização de roupas, café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.
 
A prefeitura afirma que por se tratar de um público com características de migração, a média de atendidos diários pelo Centro Pop é de 18 usuários e que apenas cinco deles ficam para dormir no local.
 
O Centro Pop fica na Rua João XXIII , 271, no Centro de Lagoa Santa, e funciona das 8h às 17h. O telefone é o 3688-1488, e o e-mail, centropop@lagoasanta.mg.gov.br.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade