Publicidade

Estado de Minas ASSÉDIO MORAL

Sindicato vai processar prefeito que ameaçou rasgar multa de trânsito

Prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo confrontou agente e disse ser "anti-multa" e ter "nojo de multa"; em nota, pediu desculpas


12/07/2021 18:57 - atualizado 12/07/2021 19:13

O prefeito de Divinópolis confrontou o agente enquanto ele abordavam um motorista(foto: Reprodução de vídeo/Instagram)
O prefeito de Divinópolis confrontou o agente enquanto ele abordavam um motorista (foto: Reprodução de vídeo/Instagram)
O Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sintram) irá ajuizar ação coletiva contra o prefeito de Divinópolis, Gleidson Azevedo (PSC) por assédio moral. A decisão foi tomada nesta segunda-feira (12/7) após a entidade ter acesso ao vídeo em que ele aparece confrontando um agente de trânsito e ameaçando rasgar a multa.

O caso aconteceu neste sábado (10/7), na região onde é realizada a tradicional feira do Bairro Esplanada, em uma área de grande movimentação. Enquanto um agente abordava um motorista, o prefeito apareceu questionando se ele estava multando-o. 



Sem que deixasse nenhum dos dois se explicar, disparou em tom alterado: “Se você tiver feito alguma multa para ele eu vou rasgar agora”. O condutor tenta explicar a razão da abordagem, mas é interrompido. 

O guarda também, por várias vezes, pede calma ao prefeito e que ele os escute. Diante das negativas, tenta convencê-lo a ir para um canto para liberar o trânsito. Entretanto, Azevedo rebate: “Vou ficar no meio da rua”. Enquanto isso, uma fila de carros se formava.
 
Após insistência do guarda, que sai e vai para o passeio, o prefeito o acompanha. Lá encontra outro agente e volta a questioná-lo sobre a razão de ter havido aumento de multas este ano em relação ao ano anterior.

O guarda então pede para aguardar a chegada do supervisor, que teria mais autonomia para falar sobre o assunto.

Antes que o supervisor chegasse e o vídeo fosse encerrado, ele dispara: “Sou anti-multa, eu tenho nojo de multa. Eu tirei um radar”. O radar mencionado por ele é um instalado na Avenida JK, próximo ao Bairro Afonso Pena. Ele foi desativado no início do mandato. 

O prefeito também aproveitou a oportunidade para falar sobre a adesão do município ao Sistema de Notificação Eletrônica.


Repercussão negativa

O vídeo viralizou ao longo do final de semana na internet e foi compartilhado pelo próprio prefeito nas redes sociais dele, porém, com edição.

A repercussão negativa fez com que uma nota fosse emitida logo na manhã desta segunda-feira (12/7) pela assessoria de comunicação da prefeitura.

Nela, o governo tenta se explicar. Afirma que o intuito foi evidenciar para a população que nenhuma pessoa, nem mesmo o prefeito, pode solicitar que os agentes de trânsito retirem uma multa ou deixem de multar.

“Pois os mesmos, na esfera da competência estabelecida no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e dentro de sua circunscrição, julgará a consistência do auto de infração e aplicará a penalidade cabível”, afirmou

A quantidade de autuações lavradas e validadas, de janeiro a maio de 2021 teve aumento de 8,87%, quando comparado com 2020. No período, segundo a nota, houve redução no movimento na área central devido às restrições impostas pela pandemia da COVID-19.

Já em relação a 2019, houve um decréscimo de 134,37%. As principais autuações são de evasão de sinal vermelho, estacionar em vaga de idoso, deficiente físico e carga e descarga, e dirigir falando ao telefone celular. 

“A sensação de que a quantidade de multas tenha aumentado exorbitantemente em relação ao ano passado deve-se ao fato de que no ano de 2020, em razão da pandemia, foi realizada a suspensão de pagamento de todas as multas aplicadas naquele ano e o vencimento foi prorrogado com a mesma data, porém para 2021. Portanto, nesse momento, muitas multas de 2020 estão sendo enviadas aos infratores”, explicou a nota.
 
Em um tom diferente do prefeito no vídeo, a nota tenta conscientizar a população. 

“A prefeitura relembra que a quantidade de autuações depende muito de a população respeitar as regras de circulação previstas no CTB. E, que 90% de todas as infrações são realizadas por smartphone, onde é anexada, quando possível, a foto do veículo em que está cometendo o ato. Às decisões dos agentes de trânsito cabem recurso a ser interposto, no prazo de 30 dias contados da publicação ou da notificação da decisão”, orientou.

O prefeito também usou a nota para desculpar-se. “O prefeito pede desculpas aos agentes de trânsito e à população, que se sentiram desrespeitados pela forma de expressão, e intensifica que unidos, prefeitura e população, o trânsito será melhor e mais seguro”.

Na contramão da postura de Azevedo, a administração pediu que a população respeite a abordagem dos agentes. “Eles têm o papel de evitar acidentes e engarrafamentos nas vias das cidades, além de orientar os pedestres nas vias urbanas”, finalizou.


Ação coletiva

O Sintram disse que irá ajuizar ação coletiva, com pedido de danos morais, após conversar com os agentes de trânsito, que se sentiram ofendidos. O sindicato repudiou a postura do prefeito e disse que ele “se mostra em total despreparo para o cargo de chefe do Executivo”.

“E utiliza as redes sociais de forma maliciosa, na tentativa de jogar a população contra os servidores municipais”, declarou.

Essa não é a primeira vez que o clima esquenta entre servidores e o prefeito. Durante uma manifestação por reposição salarial, houve discussão com um dos sindicalistas.

“Um prefeito que incita a população contra os servidores municipais, numa clara afronta as leis existentes”, enfatizou.

O sindicato orientou os servidores a denunciar possíveis abusos de autoridade. 
 
A reportagem tentou contato com o agente citado, porém, ele não foi encontrado para falar sobre o assunto. Nenhum outro profissional também quis comentar o ocorrido.

*Amanda Quintiliano - Especial para o EM


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade