UAI
Publicidade

Estado de Minas CAMPANHA

Guardas de BH orientam sobre importunação sexual nos transportes públicos

Segundo a prefeitura da capital, 71 ocorrências do tipo no transporte coletivo foram feitas desde a criação da campanha, em 2018


09/07/2021 11:55 - atualizado 09/07/2021 12:12

Guardas muncipais de Belo Horizonte orientaram usuários do Move, na Estação Pampulha, sobre o crime nesta sexta-feira (9/7)(foto: Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção/Divulgação)
Guardas muncipais de Belo Horizonte orientaram usuários do Move, na Estação Pampulha, sobre o crime nesta sexta-feira (9/7) (foto: Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção/Divulgação)
A Guarda Municipal de Belo Horizonte realizou na manhã desta sexta-feira (9/7) uma campanha contra a importunação sexual no transporte público na Estação Pampulha do sistema Move. Com cartilhas educativas, os agentes explicaram para quem passava pelo local as formas de configuração do crime e como denunciar.

A caminho do trabalho ou na volta para a casa, muitas mulheres que utilizam ônibus, metrôs e outros coletivos relatam já ter sofrido assédio . Segundo pesquisa do Instituto Datafolha, publicada em junho, 24,4% das brasileiras relataram ter sofrido violência física, psicológica ou sexual no último ano. Deste número, 7,9% informaram que foram assediadas fisicamente no transporte público. 

Desde a criação do grupo de combate ao crime na capital mineira, em setembro de 2018, 230 campanhas como essa já foram feitas. Os esforços resultaram no registro de 71 ocorrências do tipo no transporte público.

Grupo de combate a importunação sexual nos transportes públicos de BH foi criado em 2018(foto: Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção/Divulgação)
Grupo de combate a importunação sexual nos transportes públicos de BH foi criado em 2018 (foto: Secretaria Municipal de Segurança e Prevenção/Divulgação)
Uma das ações da prefeitura foi a criação do  botão do assédio , no qual o motorista do ônibus envia sua localização à central da Empresa de Transporte e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans). Depois, a BHTrans aciona a Guarda Municipal para interceptar o veículo e prender o suspeito .

Esse processo tem ocorrido, em média, em 10 minutos, segundo dados da própria PBH. Desde novembro de 2018, o equipamento funcionou 50 vezes – uma média de dois acionamentos a cada três meses aproximadamente.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade