Publicidade

Estado de Minas CRIME DE TRÂNSITO

Motorista de carro de luxo indiciado por morte dupla em acidente

Teste do bafômetro apontou que condutor dosagem de álcool no sangue era acima do permitido


19/06/2021 13:25 - atualizado 19/06/2021 15:05

Veículo atingido por carro de luxo ficou totalmente destruído pelas chamas(foto: Reprodução)
Veículo atingido por carro de luxo ficou totalmente destruído pelas chamas (foto: Reprodução)
O motorista de um veículo de luxo, Mercedes-Benz CLA 200, um homem de 46 anos, foi indiciado pela Polícia Civil, como sendo o responsável pela morte de uma senhora de 65 anos, e de sua neta, de 14 anos, em acidente ocorrido em 14 de janeiro, na Avenida Presidente Carlos Luz, na altura do Bairro Caiçara.

O veículo em que elas estavam, uma Parati, pegou fogo depois da colisão. Além das vítimas fatais, uma mulher, mãe da adolescente que faleceu, de 33 anos, e uma criança, de 10 anos, ficaram feridas ao serem atiradas para fora do carro. A principal prova é o teste de bafômetro, que constatou 0,76 mg/l de álcool presente no organismo.


Segundo o delegado Rodrigo Fagundes, no decorrer dos trabalhos realizados pela Divisão Especializada em Prevenção e Investigação de Crimes de Trânsito (DEPICT), os policiais conseguiram imagens do veículo causador do acidente. Várias testemunhas foram ouvidas e também foram colhidos os depoimentos dos sobreviventes.

As testemunhas relataram que o Mercedes estava em alta velocidade. Em seu depoimento, o condutor admitiu ter ingerido cerveja e afirmou que estava trafegando a 70 km/h, que é uma velocidade acima do permitido na via, que é de 60 km/h.


As investigações mostraram que o motorista tem 91 pontos registrados na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e já respondeu a um processo administrativo instaurado pelo Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG), ficando 180 dias com o documento suspenso.


“Chegamos à conclusão que o condutor não tem a menor condição de continuar trafegando pelas vias. No ano de 2020, eu o autuei pelo crime de embriaguez ao volante. Ele é, portanto, reincidente nessa prática. Naquela época, ele lesionou outras pessoas. Não aprendeu a lição, continuou fazendo ingestão de bebida alcoólica e conduzindo veículo automotor, e o resultado agora foi muito trágico e tirou a vida de duas pessoas inocentes”, diz o Fagundes.


O delegado diz que pelo somatório de situações e provas obtidas durante o inquérito policial, o motorista está sendo indiciado pelo crime de homicídio doloso, lesão corporal dolosa, previstos no Código Penal (CP), e pelo crime de dirigir sob efeito de álcool, previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade