Publicidade

Estado de Minas VIOLÊNCIA

Polícia pede fechamento da clínica onde paciente teria sido torturado

Delegado Regional de Polícia Civil, Marcos Pimenta disse que vídeo com as torturas em clínica de Passos está sendo periciado


18/06/2021 18:09 - atualizado 18/06/2021 18:54

Agressões teriam ocorrido em outubro de 2020. Clínica afirma que os funcionários foram demitidos(foto: Reprodução de vídeo/EPTV)
Agressões teriam ocorrido em outubro de 2020. Clínica afirma que os funcionários foram demitidos (foto: Reprodução de vídeo/EPTV)

A Polícia Civil de Passos pediu a suspensão das atividades da clínica de dependentes químicos em que imagens de agressões e tortura contra um paciente foram gravadas. Nesta sexta-feira (18/6), a polícia ouviu outro paciente, que diz ter sido vítima de torturas psicológicas e físicas na clínica, que fica nas margens da rodovia MG-050.

Conforme o delegado regional Marcos Pimenta, as agressões teriam ocorrido em outubro do ano passado na clínica, mas ganharam força depois que imagens foram divulgadas.

Os vídeos mostram um paciente da clínica sendo agredido, enforcado com um mata-leão e recebendo golpes na cabeça. Em outro momento, o paciente chega a ser sufocado com um saco plástico.

Marcos Pimenta explicou que a polícia foi procurada em abril por um homem que narrou ter sido vítima de maus tratos por esta clínica enquanto estava em tratamento de dependência química.

“Em abril mesmo, a Polícia Civil instaurou um inquérito e começou a trabalhar, com oitivas de envolvidos, dona da clínica, segurança, da própria vítima que nos procurou e os fatos eram alusivos a outubro de 2020. Paralelo a isso, surgiram os vídeos e os vídeos estão em sintonia com a oitiva da vítima. Os vídeos foram enviados à perícia e estamos aguardando os resultados para evitar questionamentos futuros, caso seja convertido em ação penal”, explicou o regional de polícia.

As imagens foram gravadas por outro funcionário da clínica. A vítima teve que ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento devido às lesões, segundo o boletim de ocorrência registrado sobre o caso.

A clínica
A Clínica Doze Pilares divulgou uma nota afirmando que repudia a prática de qualquer ato de violência e que os dois funcionários foram demitidos.

Na nota, assinada pela sócia da empresa, ela diz que a clínica está à disposição para cooperar nos trabalhos de investigação.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade