Publicidade

Estado de Minas METEOROLOGIA

Madrugada é a mais fria do ano em Belo Horizonte - e vai piorar

Termômetros do Insittuto Nacional de Meteorologia (Inmet) registraram 11,7°C e previsão é de 10°C na semana. Estado está em alerta de baixas temperaturas


13/06/2021 10:14 - atualizado 13/06/2021 11:58

Céu aberto e frio a partir das obras da Catedral Cristo Rei, em Venda Nova(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)
Céu aberto e frio a partir das obras da Catedral Cristo Rei, em Venda Nova (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A.Press)


A madrugada deste domingo (13/06) foi a mais fria do ano em Belo Horizonte, chegando a 11,7°C, segundo medições do Instituto nacional de Meteorologia (Inmet).

E as previsões do instituto são de que na segunda e terça-feira a temperatura chegue à casa dos 10°C.

Com o avanço do dia os termômetros se elevam, chegando a 24°C, segundo previsão do Inmet. O recorde anterior de temperaturas mais baixas ocorreu em 10 de maio, com o registro de 11,8°C.

Ainda de acordo com a previsão da meteorologia, os dias serão ensolarados nesta semana, com as temperaturas mínimas e máximas subindo a partir de quinta-feira, chegando a 13°C e a 25°C respectivamente.

Nesta segunda-feira (14/06) a previsão é de céu com poucas nuvens e tempreaturas de 10°C a 24°C, com a máxima chegando a 25°C na terça-feira e a mínima escalando até a quinta-feira (17/06) parab 13°C, segundo previsão do inmet.

O Inmet emitiu, ainda, alerta de declínio de temperaturas para uma área do sudeste a nordeste de Minas Gerais, passando por Belo Horizonte.

(foto: Inmet)
(foto: Inmet)


Segundo o alerta, há leve risco à saúde com declínio das temperaturas entre 3ºC e 5ºC. O aviso vale para as regiões metropolitana de Belo Horizonte, Zona da Mata, Campos das Vertentes, Oeste, Sul/Sudoeste, Vale do Mucuri, Vale do Rio Doce e Jequitinhonha.

Os modelos de previsão climática do inmet para o período de junho a agosto, indicam uma intensificação da estiagem no Norte, Noroeste e Centro-Oeste de Minas, com ilhas nos Campos das Vertentes e Vale do Rio Doce, onde as chuvas devem ficar abaixo de 35 milímetros mensais.

Uma grande faixa que desce dos vales dos rios Jequitinhonha e Mucuri, passando pela região Central, Grande BH e Triângulo, enfrenta seca menos intensa, mas as precipitações mensais não ultrapassam os 75 milímetros.

Um puco mais de umidade se concentra com chuvas mais intensas no extremo sul de Minas Gerais, na divisa com São Paulo, onde o modelo prev~e que se possa concentrar até 100 milímetros de chuvas, por mês, até agosto.

A previsão afasta o risco de chuvas consideráveis e problemas como alagamentos, enchentes, enxurradas e deslizamentos de encostas nas áreas de risco mineiras. Entretanto, a umidade começa a baixar, acendendo o alerta sobretudo para pessoas alérgicas com a intensificação do clima seco.

O Inmet recomenda rotinas preventivas, com hidratação constante, evitar banhos com água quente, para não potencializar o ressecamento da pele. Se necessário, use hidratante. Manter as janelas abertas para ventilação, evitando a propagação de doenças típicas desta época do ano. Procurar um especialista em caso de problemas respiratórios.

Com a redução progressiva da umidade, as mucosas do sistema respiratório, boca e olhos acabam sofrendo e se tornando portas de entrada para vírus como os da influenza e o novo coronavírus, o quedemanda ainda mais atenção e precaução das pessoas, mesmo quem já foi vacinado.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade