Publicidade

Estado de Minas TRANSPORTE FERROVIÁRIO

Sul de Minas e Triângulo Mineiro poderão ter 5 novas rotas de trens

Ao menos 10 cidades seriam beneficiadas com novo projeto de incentivo ferroviário que entrou em vigor nesta terça-feira (8/6); proposta é de gestão privada


08/06/2021 17:37 - atualizado 08/06/2021 18:01

Lei regulamentada nesta terça (8/6) pelo governador Romeu Zema (Novo) prevê investimentos de R$ 27 bilhões no transporte ferroviário em Minas(foto: Marcos Michelin/EM)
Lei regulamentada nesta terça (8/6) pelo governador Romeu Zema (Novo) prevê investimentos de R$ 27 bilhões no transporte ferroviário em Minas (foto: Marcos Michelin/EM)
A nova lei de incentivo ferroviário de Minas Gerais deve criar ao menos três rotas turísticas e duas linhas de cargas em cidades do Sul de Minas e Triângulo Mineiro. A assinatura do decreto que regulamenta o projeto foi feita nesta terça-feira (8/6), em Belo Horizonte, pelo governador Romeu Zema (Novo).
Com a proposta, empresas privadas poderão assumir a gestão de trechos para tentar reativar mais de 1.500km de malha ferroviária desativada ou abandonada no Estado.
 
No total, o governo mapeou 19 áreas que podem ser de interesse da iniciativa privada.
 
No Sul de Minas seriam concedidas as seguintes linhas:
  • Jacutinga (turismo)
  • São Sebastião do Rio Verde - Passa Quatro (turismo)
  • Lavras - Três Corações – Varginha (turismo)
  • Varginha - Três Corações - Passa Quatro (cargas)
Já no Triângulo, a rota de cargas entre Uberlândia - Ituiutaba - Chaveslândia (Santa Vitória) é a mais viável de ser viabilizada, segundo o governo.
 
"O modal ferroviário é fundamental para que uma infraestrutura adequada atenda ao setor produtivo. Este é um modelo de negócio que já se provou em outros países que é viável”, afirma o governador.

Rede ferroviária de Minas

A malha ferroviária mineira, considerada a maior do país, tem hoje 5 mil quilômetros, ou 16,3% de toda a via nacional.

Os investimentos das concessionárias podem totalizar R$ 26,7 bilhões em obras de construção de ferrovias, material rodante e instalações fixas nos 19 projetos pré-definidos, divididos em transporte de cargas e de passageiros.
 
A estimativa é de geração de 373 mil empregos, divididos em 106 mil vagas diretamente relacionadas às obras de construção e operação e 267 mil empregos que devem ser criados em outros setores da economia para atender a nova demanda promovida pela expansão das ferrovias.
 
Também são previstos R$ 2,8 bilhões em arrecadação de impostos indiretos e o crescimento de 3,05% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado.

Trem de Belo Horizonte para Ouro Preto

Além das propostas de rotas turísticas e de escoamento de cargas, o projeto de incentivo também prevê um trem regional saindo de Belo Horizonte e seguindo por Sabará, Raposos, Nova Lima, Rio Acima, Itabirito e chegando em Ouro Preto.
 
Um segundo trecho sairia de Mariana com destino a Além Paraíba.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade