Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

COVID-19: taxa de ocupação de leitos de UTI fica abaixo de 100% em BH

A última vez que esse indicador ficou abaixo dos 100% foi em 18 de março. Abertura de leitos reduziu a ocupação


30/03/2021 16:30 - atualizado 30/03/2021 19:44

Nesta terça-feira, dia 30, foram abertos na rede particular 38 leitos de UTI COVID e 15 leitos de enfermaria COVID(foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)
Nesta terça-feira, dia 30, foram abertos na rede particular 38 leitos de UTI COVID e 15 leitos de enfermaria COVID (foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)
A taxa de ocupação de leitos de UTI para COVID-19 voltou a ficar abaixo de 100% em BH, informou a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) nesta terça-feira (30/3). A redução foi resultado da abertura de novos leitos.

 

De acordo com os dados, o percentual de uso dos leitos do tipo – que inclui SUS e particular – diminuiu de 100,7%, registrados nessa segunda-feira (29/3), para 97,2% nesta terça-feira.

A última vez que esse indicador ficou abaixo dos 100% foi em 18 de março.

 

 

 

Portanto, foram sete balanços consecutivos com sistema de saúde em colapso. Atualmente, BH tem 30 leitos de UTI vagos e 1.045 em uso.

 

Nesta terça-feira, foram abertos 38 leitos de UTI COVID-19 na cidade, todos na rede suplementar. Nela, a taxa de uso também está abaixo dos 100% depois de nove levantamentos em sequência: 98,2%.

 

 

 

Com isso, restam 10 das 549 vagas de UTI nos hospitais privados para pacientes infectados pelo novo coronavírus.

 

Já no SUS, a ocupação de 96,2% significa que 506 das 526 camas abrigam um paciente com COVID-19. Restam 20.

 

Ampliação de leitos 

Somente neste mês, foram abertos 243 leitos de UTI para COVID-19 na rede pública da capital mineira.

Atualmente, são 526 unidades de terapia intensiva, totalizando o maior número de leitos de UTI desde o início da pandemia. Com isso, a taxa de ocupação no SUS segue estável em 96,2%. 

No mesmo período, foram abertos 398 leitos de enfermaria COVID na rede pública, alcançando 1.175 unidades.  

"Mesmo com a redução é imprescindível que a população continue fazendo a sua parte mantendo o distanciamento social, uso da máscara e a correta higienização das mãos", pediu a PBH. 

 

Enfermaria e transmissão

 

A ocupação dos leitos de enfermaria para COVID-19 sofreu leve aumento nesta terça: de 85,6% para 85,7%. Esse percentual considera a soma entre as redes pública e particular.

 

Mais 15 vagas foram abertas, todas nos hospitais privados. Mas a demanda cresceu em proporção maior.

 

Agora, BH dispõe de 2.159 leitos de enfermaria: 1.850 ocupados e 309 livres.

 

A situação é mais grave nos hospitais privados, com ocupação de 89,8%. São exatamente 100 camas desocupadas.

 

No SUS, o índice é de 82,2%. Portanto, 209 dos 1.175 leitos estão vagos.

 

Outro indicador fundamental da pandemia, o número médio de transmissão por infectado caiu novamente em BH: de 1,11 para 1,09. A estatística não apresenta aumento há 11 boletins.

 

 

 

O estágio atual significa que a cada 100 pessoas com COVID-19 na capital mineira, mais 109 se tornam vítimas da doença. Esse nível é considerado intermediário, o de alerta.

 

Casos e mortes

 

Belo Horizonte registrou mais 35 mortes por COVID-19 nesta terça. Com mais essas, a cidade totaliza 3.202 vidas perdidas para a virose. Esse foi o segundo maior crescimento desde 18 de fevereiro.

 

Quanto ao número de casos, o crescimento foi de 1.921: de 139.298 para  141.219. 


 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade