Publicidade

Estado de Minas COLAPSO NA SAÚDE

Conselho alega que BH tem fila de 190 pessoas à espera de leitos de UTI

De acordo com entidade ligada aos servidores da saúde, as Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) se tornaram centros de terapia intensiva 'improvisados'


25/03/2021 22:08 - atualizado 25/03/2021 23:24

Movimentação na UPA Barreiro nessa quarta (24/3), quando o conselho alega que havia fila de 190 pessoas à espera de leitos em BH(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Movimentação na UPA Barreiro nessa quarta (24/3), quando o conselho alega que havia fila de 190 pessoas à espera de leitos em BH (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)

 

O Conselho Municipal de Saúde informou nesta quinta-feira (25/3) que Belo Horizonte tinha uma fila de 190 pessoas à espera de leitos de UTI até a última quarta (24/3). A entidade pede um fechamento total das atividades na cidade, o chamado lockdown.

 

O conselho chama atenção para a situação das Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) da cidade.

 

"Viraram CTIs improvisados e precários. Salas de cirurgia e banheiros tornaram-se salas de emergência lotadas e improvisadas para atender a uma demanda crescente", alega a nota da entidade.

 

Diante do caos da saúde em BH por causa da pandemia da COVID-19, o conselho pede que a prefeitura divulgue a “fila de espera diária” por leitos de UTI nas redes pública e privada.

 

A entidade também solicita a abertura do hospital de campanha do governo do estado.

 

Outro pedido é por esclarecimentos do prefeito Alexandre Kalil (PSD). Ele não fala sobre a pandemia desde o último dia 12, quando o Executivo municipal anunciou nove medidas para conter a proliferação do novo coronavírus.

 

Indicadores

 

Até esta quinta, BH registra uma ocupação de 105,7% nas UTIs.

 

A capital mineira dispõe de 917 leitos do tipo para pacientes com COVID-19. Porém, 969 pessoas enfrentam o estado grave da doença. Portanto, há uma defasagem de 52 vagas.

 

A situação é mais grave na rede suplementar, na qual 502 pessoas precisam de leitos. Porém, há apenas 430 leitos de UTI, o que resulta numa ocupação de 116,7%.

 

No SUS, a taxa de uso é de 95,9%. Portanto, 467 dos 487 leitos disponíveis abrigam um paciente, restando 20 vagas.

 

PREFEITURA DE BH 

Em nota, a prefeitura de Belo Horizonte informou que "a taxa de ocupação de UTI Covid acima de 100% apresentada no Boletim Epidemiológico e Assistencial não indica que o número excedente represente fila. Segundo as instituições de saúde – públicas, filantrópicas e privadas –, que repassam os dados à Secretaria Municipal de Saúde para o acompanhamento da taxa de ocupação, estes pacientes além dos 100% estão internados nos hospitais utilizando todos os recursos que um paciente com esse perfil necessita, como insumos e equipamentos.

 

Todos os pacientes hospitalizados nas instituições da Rede SUS que necessitam de UTI já foram cadastrados na central de leitos, que funciona 24 horas, sete dias por semana, inclusive nos feriados. É importante ressaltar que essas pessoas foram atendidas, estão recebendo atenção médica e pode ser que venham a ser transferidas para um hospital, caso necessitem de cuidados indisponíveis nas UPAs."



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade