Publicidade

Estado de Minas

Etanol dispara e sobe 13,76% em um mês nos postos da Grande BH

Segundo pesquisa do Mercado Mineiro, preço médio do combustível subiu de R$3,698 para R$4,207 na Grande BH, ultrapassando o limiar de 70% do valor da gasolina


22/03/2021 12:05 - atualizado 22/03/2021 18:45

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Para quem mora na Grande BH abastecer o carro com etanol deixou de ser vantajoso nos últimos 30 dias. O preço médio cobrado pelo litro subiu de R$ 3,698 para R$ 4,20, alta de 13,76%. 

A constatação é do site Mercado Mineiro, que comparou os preços dos principais combustíveis em 145 potos da capital e Região Metropolitana entre os dias 18 a 20 de março.

Com o aumento, o álcool atingiu 73% da média da gasolina comum. A famosa "regra" dos 70%, definida pela Petrobrás, sugere que o consumidor só deve optar pelo produto quando ele custa até 70% do litro da gasolina. Do contrário, especialistas aconselham que o motorista avalie o que vale mais a pena, já que o desempenho do segundo derivado de petróleo é superior. 

De acordo com a pesquisa, o menor preço do etanol encontrado nos estabelecimentos consultados foi de R$3,899. O maior foi de R$4,749. A variação é de 21,8%. 

A gasolina teve alta de 8,8% nos últimos 30 dias. O menor valor cobrado pelo litro é de R$5,477, o maior, R$6,249, diferença de  14,1%. 

O preço médio do diesel acompanhou a alta do dos demais combustíveis. O produto está 1,3% mais caro em relação ao mês passado. Em 26 de fevereiro, o valor cobrado pelo litro era de 

O preço médio do litro do diesel subiu 1.30% no último mês. O valor do litro foi de R$4.361, em 26 de feveriro, para R$4,418. 

 que em 26 de fevereiro de 2021 era R$4.361 passou para R$4,418. O menor preço do litro deste tipo de combustível é de R$4,169 e o maior R$4.999, uma variação de 19.91%.

De janeiro até março o diesel subiu 15.56%. Era R$3.823 e passou para R$4.418. De janeiro a março, a alta acumulada do diesel foi de 15.56%. 


Greve

Em 25 de fevereiro deste ano, o aumento no preço do diesel motivou uma paralisação dos transportadores de combustível em Minas, e consequente corrida aos postos, já que a greve afetou o abastecimento das bombas.

O movimento foi deflagrado pelo Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo do Estado de Minas Gerais (SindTanque). A categoria reinvindicou redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que incide sobre o preço do óleo diesel de 15% para 12%.

A categoria retomou as atividades dois dias após a paralisação, quando o governador Romeu Zema (Novo) propós uma negociação, ainda não concluída. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade