Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

BH só tem seis UTIs para COVID-19 disponíveis na rede privada

Conforme boletim epidemiológico da prefeitura, 299 dos 305 leitos do tipo nos hospitais particulares da cidade estão em uso


15/03/2021 18:13 - atualizado 15/03/2021 18:49

Situação dos leitos de UTI na rede privada de BH é gravíssima: 98% de ocupação nesta segunda-feira (15/3)(foto: Eduardo Valente/Shoot/Estadão Conteúdo)
Situação dos leitos de UTI na rede privada de BH é gravíssima: 98% de ocupação nesta segunda-feira (15/3) (foto: Eduardo Valente/Shoot/Estadão Conteúdo)

Os hospitais da rede privada de Belo Horizonte vivem um colapso. Conforme boletim epidemiológico e assistencial da prefeitura, apenas seis leitos de UTI para pacientes com COVID-19 não estão em uso nessas unidades de saúde.

 

A ocupação é de 98%. A capital mineira dispõe de 305 unidades de terapia intensiva em sua rede suplementar. Portanto, 299 estão ocupadas.

 

Os números, embora divulgados nesta segunda (15/3), dizem respeito à situação desse domingo (14/3). O colapso acontece justamente um mês depois do carnaval, quando muitas pessoas se aglomeraram e viajaram, apesar do cancelamento da festa de rua.

 

Na soma entre a rede suplementar e o SUS, BH registra ocupação de 93,4% em suas UTIs. No sistema público, o índice é de 89,7%.

 

Nessa sexta (12/3), quando a prefeitura anunciou nove novas medidas para conter a proliferação do coronavírus, o infectologista Carlos Starling deu seu ponto de vista sobre a situação da rede particular.

 

“Certamente, nós ainda não tínhamos visto a pior face dessa epidemia. Estamos começando a ver essa pior face agora. Unidades de terapia intensiva com 85% de ocupação (o quadro de sexta), significa que a margem para poder fazer o manejo de leitos é muito pequena. Acima disso, qualquer coisa significa colapso. E colapsando o sistema, não adianta ter plano de saúde. Não vai conseguir internar”, disse.

 

Outros dois parâmetros, a taxa de uso das enfermarias e a transmissão do coronavírus, também alcançaram suas maiores marcas e estão na zona crítica da escala de risco.

 

O fator RT chegou a 1,28. Quanto às enfermarias para COVID-19, a prefeitura contabiliza uma ocupação de 78,9%.

 

Casos e mortes em BH

Belo Horizonte chegou, nesta segunda-feira, a 123.982 diagnósticos confirmados de COVID-19: 2.902 mortes, 6.158 pacientes em acompanhamento e 114.922 recuperados.

 

Em comparação ao balanço anterior, divulgado nessa sexta-feira (12/3), houve crescimento de 1.680 casos e 17 óbitos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade