Publicidade

Estado de Minas CIDADE ARRASADA

Prefeito de Santa Maria de Itabira estima gastos em reconstrução

Reinaldo das Dores Santos (PSD) ainda calcula prejuízos, principalmente na zona rural do município


22/02/2021 21:29 - atualizado 23/02/2021 17:24

Famílias ainda contam perdas causadas pela enchente do fim de semana em Santa Maria de Itabira(foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
Famílias ainda contam perdas causadas pela enchente do fim de semana em Santa Maria de Itabira (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)

 
O prefeito de Santa Maria de Itabira, Reinaldo das Dores Santos (PSD), calcula que precisará de pelo menos R$ 2 milhões para recuperar a cidade da região Central de Minas Gerais que foi castigada pela enchente do Rio Girau e pelo desabamento de encostas sobre casas. O levantamento ainda está sendo feito por especialistas que percorrem o município.

"Tem engenheiro de campo, funcionário público observando tudo. Ainda não fomos à zona rural da cidade para conferir os estragos. Por alto, eu calculo no mínimo R$ 2 milhões. Estamos esperando os recursos, ainda não entrou nada no caixa da prefeitura, que precisa de dinheiro para se reconstruir", afirmou.

O prefeito de Santa Maria de Itabira decretou estado de calamidade pública nesta segunda-feira (22/02). "Com o decreto, vamos poder ter acesso ao dinheiro", disse o prefeito, que conversou com o governador Romeu Zema (Novo) no domingo. "Ele falou que ia priorizar Santa Maria de Itabira e que faria de tudo para reconstruir e reparar a cidade", destacou.

No domingo, o rio Girau agigantou-se pelas fortes chuvas e invadiu Santa Maria de Itabira. Casas foram destruídas, parte do calçamento foi comprometido com a força do manancial, que levou uma ponte e comprometeu outras duas. Ao todo, 129 pessoas estão desalojadas. Muitas delas perderam tudo que tinham.

A cidade está sendo reorganizada com a ajuda de empresários, prefeitos de cidades vizinhas e moradores do município. "A Vale está ajudando, vários empresários, os prefeitos da região estão ajudando com máquinas, caminhão, pessoal. Sem falar os bombeiros e a Defesa Civil, que estão atuando aqui. Há uma solidariedade muito grande das pessoas na região".

"Agora, a gente está precisando de ajuda para quem está desabrigado. Comida, água, roupas para quem perdeu tudo.E o principal é o dinheiro para reformar o município e auxiliar quem precisa", afirmou Reinaldo das Dores.

Além de pontos nas cidades próximas, Belo Horizonte também está recebendo doações. A boate Gis, na Avenida Barbacena, 33, no Barro Preto, está recolhendo roupas, água mineral e produtos de higiene pessoal de 10h às 18h. 

Escolas, comércio, hospital e posto de saúde foram atingidos fortemente na cidade.  Doses das vacinas contra COVID-19 que a Secretaria Municipal de Saúde recebeu para imunizar grupos prioritários (idosos, profissionais de saúde e idosos que vivem em instituições de longa permanência) foram comprometidas pelas fortes chuvas. Atingido pelas águas, o hospital foi forçado a interromper os atendimentos desde domingo.

Seis mortes já foram confirmadas. O próprio prefeito foi atingido pela tragédia. A casa dele, no bairro Nova Santa Maria, foi inundada pela água do rio. "Perdi tudo. A água entrou e ficou 20 centímetros acima da janela", lamentou.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade