Publicidade

Estado de Minas VOLTA ÀS AULAS

Professores sobre protesto por reabertura de escolas em BH: 'Irresponsável'

Sindicato de Professores de MG diz que manifestação desta manhã representa estudantes privilegiados e ignora riscos impostos pelo atual cenário da pandemia


18/02/2021 13:31 - atualizado 18/02/2021 15:56

Movimento organizado esta manhã (18/2) por pais de alunos de escolas particulares de BH pediu retorno imediato das aulas presenciais(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press )
Movimento organizado esta manhã (18/2) por pais de alunos de escolas particulares de BH pediu retorno imediato das aulas presenciais (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press )
Para o Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro-MG), a manifestação realizada nesta quinta-feira (18/2) em BH pelo retorno imediato das aulas presenciais é "irresponsável". 



Esta manhã, pais de crianças e adolescentes foram às portas de onze colégios particulares da capital mineira. O movimento pede a que as instituições de ensino ajudem a pressionar a prefeitura a liberar a retomada das atividades. 

A presidente do Sinpro, Valéria Morato, avalia que a pandemia passa por um momento delicado, com superlotação de leitos e vacinas escassas. A reabertura das escolas, afirma a dirigente, poderia agravar o quadro sanitário do estado, além de colocar a saúde dos professores em risco. 

"Precisamos pensar que esse é um movimento de pais de crianças privilegiadas. A realidade do estado e de Belo Horizonte, como um todo, é bem diferente. Cidades como Uberlândia, por exemplo, estão exportando pacientes por falta de leitos. Há hospitais mineiros sem oxigênio. E engana-se quem pensa que BH está à margem disso, pois o nosso sistema de saúde socorre outros municípios. Como vamos reabrir as portas diante dessa situação?", questiona a líder sindical. 

Valéria Morato diz que o sindicato luta por mais celeridade na campanha de vacinação, de modo que os professores sejam vacinados e, assim, possam retornar o trabalho presencial com segurança. 

"Que fique bem claro que não queremos passar na frente de ninguém. Nós lutamos pela ampliação mais ágil da imunização, de modo que os professores, que prestam um serviço essencial, sejam vacinados - de preferência, antes de assumirem as atividades presenciais", pondera Valéria.

A presidente do Sinpro conta que o sindicato se reuniu nesta quinta-feira (18/2) com o Conselho Municipal de Educação para discutir os protocolos de reabertura das escolas, além da inclusão dos trabalhadores da educação no grupo prioritário da campanha de imunização. A entidade também teria enviado à PBH um ofício solicitando uma reunião com o prefeito Alexandre Kalil (PSD), para tratar da mesma pauta. 

O que diz a PBH

Em nota enviada à reportagem, a Prefeitura de Belo Horizonte sugeriu a possibilidade de retorno das aulas presenciais em março, desde que os principais indicadores da pandemia - ocupação de leitos e taxa de transmissão do novo coronavírus - se mantenham em patamares considerados seguros pelas autoridades sanitárias.  

O planejamento da retomada já foi esboçado pela Secretaria Municipal de Educação. Os estudantes seriam convocados em três fases: a primeira é focada nos alunos da educação infantil de 0 a 5 anos. Em seguida, viriam os alunos de 6 a 8 anos. A última faixa reintegrada seria a das crianças e adolescentes entre 9 a 14 anos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade