Publicidade

Estado de Minas FIM DO GOLPE

Estelionatário que causou prejuízo de R$ 480 mil a varejistas é preso em BH

Suspeito agia desde 2013. Golpe consistia em denunciar não ter recebido mercadorias que já estavam em seu poder


09/02/2021 15:39 - atualizado 09/02/2021 16:00

As investigações apontaram que o estelionatário agia há oito anos e teria cometido inúmeros crimes(foto: Divulgação/PCMG)
As investigações apontaram que o estelionatário agia há oito anos e teria cometido inúmeros crimes (foto: Divulgação/PCMG)
 
Um estelionatário, de 30 anos, que agia desde 2013 e teria cometido inúmeros crimes de estelionato contra um dos principais varejistas do país – num total avaliado em R$ 480 mil –, foi preso pela Polícia Civil, nesta terça-feira (9/2). O suspeito está sendo indiciado, também, por falsificação de documento e comunicação falsa de crimes.

O delegado Vinicius Dias revela como o homem agia: “Ele comprava produtos eletrônicos (celulares, notebooks, tablets) nas principais redes varejistas, através do comércio eletrônico. Depois, registrava um boletim de ocorrência relatando que não havia recebido os produtos e, posteriormente, recebia novas mercadorias. Depois disso, anunciava os itens em sites de vendas”.
 
O chefe do 1º Departamento, delegado-geral Wagner Sales, deu mais detalhes sobre o caso. “Identificamos o modus operandi para o golpe de estelionato, que atinge grandes empresas que vendem pela internet, mas, sobretudo, prejudica principalmente os motoboys, entregadores e, às vezes, um porteiro que recebe a mercadoria e passa a estar envolvido em uma situação dessas, quando na verdade o produto foi entregue, pois há um golpista por trás.”

As investigações prosseguirão com o objetivo de identificar todos os integrantes do grupo, pois as suspeitas apontam que outras pessoas estão envolvidas.

“A Polícia está atenta aos casos de estelionato e trabalha na identificação de outros indivíduos que possam estar envolvidos nessa organização criminosa, porque existe uma divisão de tarefas para que o crime possa ser consumado”, concluiu o delegado Sales.

No momento da prisão, o suspeito tinha em seu poder dois aparelhos celulares avaliados em R$ 20 mil, além de notas fiscais falsas e um veículo de luxo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade