Publicidade

Estado de Minas IMPASSE

Título de 'capital nacional do pequi' gera disputa entre Minas e Goiás

Projeto na Câmara Federal visa concessão de titulo para cidade de Montes Claros, em MG; governador goiano diz que vai mobilizar bancada para derrubar proposta


05/02/2021 18:08 - atualizado 05/02/2021 19:49

Pequi fomenta disputa entre Minas e Goiás(foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press )
Pequi fomenta disputa entre Minas e Goiás (foto: Luiz Ribeiro/EM/D.A Press )
 
Montes Claros, no Norte de Minas, sempre foi conhecida como 'capital do pequi' e há mais de 30 anos começou a realizar um evento - Festa Nacional do Pequi - dedicado à valorização do fruto-simbolo do cerrado. Mas um projeto de autoria do deputado federal Marcelo Freitas (PSL-MG), que visa oficializar o título para a cidade mineira como 'capital nacional do pequi' gerou uma polêmica entre Minas Gerais e Goiás, com a reação do governador daquele estado, Ronaldo Caiado (DEM).
 
 
Por meio de uma postagem nas redes sociais, na tarde desta sexta-feira (5/2), Caiado diz que o pequi é símbolo da culinária de Goiás e faz parte de sua cultura. Ele chegou até a anunciar que vai mobilizar a bancada daquele estado na Câmara Federal para impedir a aprovação do projeto do parlamentar mineiro.
 
Ainda na postagem, o chefe do Executivo de Goiás ironiza a proposta. “Não tem base essa história de um deputado mineiro querer transformar Montes Claros na capital do pequi. Rolando de rir no chão. Pequi está no DNA goiano. Muito mais que símbolo de nossa culinária, faz parte de nossa cultura. Acionei o deputado José Nelto para mobilizar nossa bancada”, diz a mensagem de Caiado. “Já vamos fazer um acordo aqui: a gente deixa o "trem" e o pão de queijo pra vocês, mineiros, e em troca ninguém mexe no nosso pequi. Combinado?”, ironizou.
 
A “disputa” gerou polêmica, com inúmeros comentários na rede social sobre o assunto. Uma das pessoas que opinou a respeito foi a jornalista e apresentadora de TV Mariana Godoy. “(...) Eu comi pequi pela primeira (e única!) vez em uma cidade do interior de Goiás chamada... Mineiro”, declarou Mariana, em tom de brincadeira. 
 
Houve até quem recorreu a pesquisas para explicar sobre a origem da cultura do pequi. “Segundo registro da Biblioteca Nacional (Rio de Janeiro), o fruto é originário da Região Nordeste do país e foi distribuído por meio de tropeiros e bandeirantes que tinham como parada a cidade de Montes Claros”, escreveu um internauta. Na proposta para que Montes Claros receba o título, apresentada nesta semana, Marcelo Freitas justifica a forte ligação da cidade norte-mineira com a cultura do pequi.
 
Ele destaca a influência do fruto-símbolo do cerrado na culinária e na economia do Norte de Minas, onde, no período de safra (dezembro a fevereiro), a espécie nativa garante o sustento de milhares de famílias nos pequenos municípios. Freitas, que é natural de Montes Claros, cita que a cidade promove anualmente a Festa Nacional do Pequi e que “ o fruto fornece a identificação gastronômica ao município, cria empregos locais e fomenta o turismo”.
 
"A cidade de Montes Claros está localizada na Região Norte do estado de Minas Gerais e [...] Bares e restaurantes de Montes Claros elaboram pratos com ingredientes típicos do cerrado, tendo como carro-chefe o tradicional pequi, valorizando a culinária local", diz o texto da proposição apresentada na Câmara dos Deputados.
 
Procurado pelo Estado de Minas na tarde desta sexta-feira (5/2), o deputado Marcelo Freitas disse que recebeu “com naturalidade” a reação do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, em relação ao seu projeto que visa o reconhecimento da cidade-polo do Norte de Minas. “Acho que é legítima a movimentação dele para o reconhecimento das tradições de seu estado, assim como estou lutando pelo reconhecimento de Montes Claros como a capital nacional do pequi”, assegurou Freitas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade