Publicidade

Estado de Minas LESTE DE MINAS

COVID-19: Governador Valadares e Região Leste continuam na onda vermelha

Município vai entrar na terceira semana com as restrições da onda vermelha; Teófilo Otoni retornou nesta quarta-feira (2/12) para a onda vermelha


02/12/2020 19:45 - atualizado 02/12/2020 20:28

A grande movimentação de pessoas nas ruas de Governador Valadares é uma cena comum, mesmo na onda vermelha(foto: Tim Filho)
A grande movimentação de pessoas nas ruas de Governador Valadares é uma cena comum, mesmo na onda vermelha (foto: Tim Filho)
As regiões Leste do Sul, Nordeste, Jequitinhonha e Leste estão na onda vermelha, a mais restritiva do Minas Consciente, onde somente os serviços considerados essenciais são permitidos. No Leste do estado, as duas maiores cidades da região, Governador Valadares e Teófilo Otoni, terão de aplicar as restrições impostas pelo Plano Minas Consciente.

Teófilo Otoni, que havia regredido para a onda vermelha em 18/11, e manteve as atividades econômicas como se estivesse na onda verde, agora terá aplicar as restrições. A manutenção da cidade na classificação da onda verde foi explicada pela Prefeitura, à época, como uma forma de ser fiel aos dados relacionados à COVID-19, que não caracterizavam uma situação de regressão para a onda vermelha.

Mas a situação se agravou, segundo afirmou o diretor do Hospital Philadelfia, Paulo Lemes. Em entrevista a uma emissora de rádio de Teófilo Otoni, ele disse que em seu hospital, a ocupação dos leitos UTI COVID-19 atingiram a marca de 100%. 

“Estamos vivendo uma época de relaxamento social, com as pessoas indo para a rua, bares, restaurantes, festas de fim de semana, sem usar máscara e sem tomar o devido cuidado. Então, tudo isso está refletindo nos indicadores atuais”, disse.

COVID-19 em alta


O boletim epidemiológico da COVID-19 de Governador Valadares, a outra cidade polo do Leste de Minas na onda vermelha, registrou nesta quarta-feira (2/12) um número expressivo de casos confirmados da doença nas últimas 24 horas. Foram 182 novos casos e 1 morte.

A manutenção da cidade na onda vermelha desagradou aos comerciantes dos bares e restaurantes, que sempre são acusados de promover aglomeração. Marcelo Schlaucher, presidente do Sindicato dos Bares e Restaurantes de Governador Valadares, discorda. Segundo ele, o segmento está funcionando em obediência as restrições impostas pela onda vermelha e acumulando prejuízos.

“O problema é que não há fiscalização, os comerciantes estão fazendo o que querem. O estado determina, mas o município não está preocupado em obedecer, e fica tudo jeito que está”, disse.

Schlaucher se refere às ruas da cidade que estão cheias de gente, com muitas lojas não obedecendo as restrições, permitindo que o cliente entre e se aglomere. Além disso, os vendedores ambulantes continuam a ocupar as calçadas do centro, se juntando às pessoas que ficam nas filas de banco que lotam as calçadas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade