Publicidade

Estado de Minas MANHÃ DE TERROR

Ladrões invadem casa e fazem família refém em condomínio de Vianópolis

Quando foi ao banheiro, ao acordar, homem foi surpreendido por ladrão, de arma em punho


01/12/2020 16:08 - atualizado 01/12/2020 16:46

Entrada do condomínio (foto: Google Maps)
Entrada do condomínio (foto: Google Maps)
Uma família, pais e três filhos, viveram uma manhã de pânico nesta terça-feira (1º/12), quando a casa em que residem, na Avenida Vale da Serra, 1.541, num condomínio de luxo em Vianópolis, em Betim, foi invadida por dois homens, um deles armado, fazendo-os de reféns. Depois de trancarem a mulher e os três filhos num quarto e amarrar o marido em outro cômodo, fugiram no Amarok da vítima, levando R$ 150 mil, jóias e relógios importados. A polícia trabalha com um suspeito, um marceneiro, que trabalhou na casa assaltada, e que hoje estaria fazendo serviços em outra residência, no mesmo condomínio.

O marido contou que acordou por volta das 6h30 para ir ao banheiro, e, quando entrou no cômodo, foi surpreendido por um homem, aparentando ter entre 20 e 30 anos, que apontou-lhe um revólver e anunciou o assalto. Um segundo assaltante estava, segundo ele, na varanda casa.
 
 
O assaltante que o rendeu, mandou que entrasse no quarto e, diante de ameaças, fez com que a mulher e os três filhos do casal fossem levados e trancados num outro quarto. “O outro ladrão entrou na casa e o que estava armado disse que nada me aconteceria, e que só queriam o dinheiro e as armas que tinha em casa. Falou que sabiam que eu tinha três cofres e que eu deveria abri-los e entregar o que estava dentro. Levei-os ao closet e abri um dos cofres, de onde tiraram o dinheiro, R$ 150 mil, e duas armas, um revólver Taurus, calibre 38, mais 50 munições, e uma pistola Taurus 9mm, mais munição”, conta a vítima.
 
Em seguida, os ladrões prenderam seus braços e pernas com fita adesiva, no quarto do casal, fugindo em seguida. Segundo o tenente Daniel Pereira, que atendeu a ocorrência, do quarto, a vítima ouviu quando os ladrões ligaram a Amarok e fugiram.
 
Mesmo com mãos e pés presos por fitas adesivas, ele conseguiu pedir socorro pela janela. Ele foi socorrido por um vizinho, que foi em seu auxílio e os dois chamaram a Polícia Militar.
 
A mulher, segundo o tenente, contou que os ladrões pediram que ela ficasse tranquila, e que nada lhe aconteceria, pois iriam embora tão logo pegassem o dinheiro e as armas, como fizeram.
 
Buscas, com base nas características do veículo, estão sendo feitas na região de Vianópolis. A Polícia tem esperanças de poder prender os ladrões. O marido contou aos policiais que a única pessoa que sabia sobre os cofres, além dele e da mulher, era o marceneiro que tinha feito o serviço de montagem do closet, há seis meses. Este trabalhava numa empresa da Savassi, em Belo Horizonte, da qual teria sido demitido durante a pandemia. Ele é o principal suspeito.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade