Publicidade

Estado de Minas SOFRIMENTO

Cão fica com a pata queimada durante incêndio em prédio no Bairro Castelo

Pelo menos 15 animais foram resgatados e outras 18 pessoas foram levadas para hospitais de Belo Horizonte por inalar fumaça


04/11/2020 17:54 - atualizado 04/11/2020 18:34

Cão 'Amarelo' ficou machucado durante incêndio(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)
Cão 'Amarelo' ficou machucado durante incêndio (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)

Um cão ficou com a pata queimada durante o incêndio em um prédio inacabado ocupado de maneira irregular, localizado no Bairro Castelo, na Região da Pampulha, em Belo Horizonte. De acordo com os bombeiros, pelo menos 15 animais foram retirados do local. Estavam entre eles: cachorros, gatos, pássaros e até tartaruga. 

Outras 18 pessoas – entre elas, nove crianças – foram atendidas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levadas para hospitais da capital.

O cachorro ferido tem o nome de “Amarelo”. A dona do animal, Priscila Nunes de Sales, conta que eles moravam no primeiro andar havia sete meses – o primeiro a ser atingido pelas chamas.

“Consegui salvar uma tartaruga e o meu cachorro machucado. Ele me adotou em outra invasão que eu tava, tem mais ou menos seis anos”, disse.

Moradores do entorno conseguiram apoio veterinário e encaminharam o animal, que recebeu todos os cuidados médicos. Priscila morava com o marido e seis crianças. Ela conta que só pensou em salvar a família no momento do incêndio.



“Já tem quase uma semana que alguém está colocando fogo, acho que é em represália a um rapaz que tem aí. A gente sempre descia e apagava. Hoje, na hora que a gente desceu, o fogo já estava bem avançado. Só consegui pegar meus documentos com meus filhos de lá de dentro”, relata a mulher.

Ver galeria . 21 Fotos Reportagem entrou no prédio após rescaldo do incêndioGladyston Rodrigues/EM/D.A. Press
Reportagem entrou no prédio após rescaldo do incêndio (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press )


Resgate heroico

O resgate dos bichos precisou de coragem e compaixão. A soldado Junia Fernandes Lopes, de 32 anos, conta como salvou alguns gatos do prédio.

Soldado Junia Fernandes Lopes, de 32 anos, resgatou gatos do incêndio(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)
Soldado Junia Fernandes Lopes, de 32 anos, resgatou gatos do incêndio (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A. Press)


“Tivemos que adentrar por uma escada na janela, a porta já estava fechada. A dona já havia sido retirada e ela tinha feito o pedido para que a gente resgatasse os animais dela”, disse a bombeira que trabalha há seis anos na corporação.

“É gratificante o nosso trabalho, sempre que a gente pode trabalhar para minimizar o sofrimento das pessoas a gente se sente realizada.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade