Publicidade

Estado de Minas PASSAGEIROS E MOTORISTAS

De olho na segurança, app de carona se reinventa e reduz em 7% crimes durante viagens em BH

Saídas criativas para tornar as viagens mais seguras para motoristas e passageiros se tornaram necessidade para apps de caronas pagas


04/11/2020 12:38 - atualizado 04/11/2020 15:26

Dashcam, câmera instalada no carro de aplicativo(foto: Wagner Silva Simão/Acervo pessoal)
Dashcam, câmera instalada no carro de aplicativo (foto: Wagner Silva Simão/Acervo pessoal)
A falta de segurança é um dos principais temores para os motoristas de aplicativos de caronas pagas. É pensando nesse gargalo que as empresas vêm se preocupando em encontrar saídas cada vez mais efetivas para mitigar esse problema. Nessa terça-feira (4), a 99 anunciou que, depois de um investimento de R$ 35 mi, conseguiu reduzir em 7% o índice de crimes durante viagens em BH.

A queda no número de crimes durante viagens ocorreu entre janeiro deste ano, mês de início do investimento, e setembro, segundo a própria 99. Em Minas, a diminuição foi de 8%. Nessa estatística, foram contabilizados todo e qualquer tipo de delito: roubo, assédio, furto, sequestro, e outros.

Esse resultado foi alcançado, ainda de acordo com a empresa, graças ao investimento direto em segurança durante este ano, que ultrapassou a cifra dos R$ 35 milhões em todo o país. Foram gastos com contratação de parceiros, equipe de atendimento emergencial 24h e implementação de novas ferramentas de proteção, como câmeras embarcadas nos carros.

O motorista Wagner Silva Simão, 38, que roda em BH há cerca de três anos foi um dos que instalou o novo equipamento de segurança como forma de proteção. "É bom pra mim e para o passageiro, principalmente para as mulheres, por causa dos vários casos de motoristas assediando passageiras", diz.

 

Ele instalou a dashcam, uma pequena câmera de segurança localizada logo acima do retrovisor do parabrisa. "Basta rotear sua internet que ela funciona. O passageiro recebe ainda no app o aviso de que a corrida está sendo gravada e ela é monitorada", explica. "Se acontecer algo, só apertar o botão pânico, que fica ao lado do volante".

A instalação é indicada pela própria empresa, mas arcada pelo motorista. "Eles avisam e quem quer vai na loja credenciada instalar. Paga uma taxa de R$ 9,90 por semana, o que é um valor que vale muito a pena", conta.

Wagner conta que nunca sofreu nenhum crime dentro de seu carro, mas que os relatos são comuns. "A gente tem grupo no WhatsApp e lá sempre tem caso de motorista assaltado. Comigo não, mas porque trabalho de dia e isso costuma acontecer mais à noite", aponta. A escolha pelo turno é tanto para conseguir manter uma rotina diurna como, também, por motivos de segurança.

Novas saídas


Diante dos recorrentes crimes contra motoristas e passageiros, o investimento em novas saídas de segurança tiveram que se tornar prioridade para as empresas de corridas pagas. No último dia 30, condutores de app foram assaltados em sequência em BH.

A Uber criou o "U-Selfie": para evitar fraudes e garantir a segurança do passageiro, o aplicativo pede, aleatoriamente, para que o motorista tire uma selfie para provar que é ele mesmo quem está atrás do volante. Há também o "U-Block", que bloqueia viagens que podem ser consideradas arriscadas a partir de análises de dados de outras corridas.

Outro novo recurso criado pela 99 é a opção Gravação de Áudio, em que toda a conversa das corridas fica armazenada em uma base e pode ser utilizada em caso de crimes. Fazem também o Monitoramento de Corridas, em que o algoritmo detecta automaticamente paradas longas ou trajetos com tempo acima do previsto.

"Nossos esforços estão focados na proteção antes, durante e depois das corridas, com foco em sistemas preventivos, ferramentas que protegem as pessoas durante a corrida e atendimento imediato", comenta Thiago Hipólito, Diretor de Segurança da 99.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade