Publicidade

Estado de Minas TURISMO

Parque do Itacolomi passará por reformas em 2021

Cerca de R$9 milhões serão investidos na unidade de conservação


15/10/2020 08:58 - atualizado 15/10/2020 09:40

Pico do Itacolomi, ponto turístico que deu nome ao parque, visto do centro de Ouro Preto (foto: foto: Divulgação/IEF)
Pico do Itacolomi, ponto turístico que deu nome ao parque, visto do centro de Ouro Preto (foto: foto: Divulgação/IEF)
 
Um dos atrativos mais buscados pelos turistas que vão a Ouro Preto e Mariana, Região Central de Minas Gerais, o Parque Estadual do Itacolomi passará por reformas a partir de 2021.

Portaria, sanitários, museu do chá, restaurante, casa de hóspedes e a casa do pesquisador passarão por reparos para atender os visitantes e melhorar a experiência com a natureza.

De acordo com o diretor de unidades de conservação do Instituto Estadual de Florestas, IEF, Cláudio Castro, investimentos em turismo fazem parte de um planejamento do IEF que visa melhorar o uso público do parque, principalmente das crianças.

“As novas gerações são muito focadas ao ambiente virtual, muito ligadas às tecnologias e às redes sociais, mas vivem com poucas ofertas de experiência com a natureza. Os parques são uma alternativa para fazer com que essas novas gerações vivenciem o contato com a natureza e no futuro vão querer proteger esses lugares”. 

A obra no Parque do Itacolomi está orçada em cerca de R$9 milhões. R$4 milhões vão para a reforma dos atrativos e R$5 milhões, para as obras da estrada. “Os projetos já estão prontos e vamos para a etapa da execução das obras por meio de recursos de compensações de empresas privadas de mineração que, por causa de seus empreendimentos, ficam obrigadas a fazer compensação ambiental. Vamos usar parte dos recursos dessas compensações para fazer essas obras com previsão de conclusão de dois anos”.

Educação Ambiental


Uma das formas de prevenir incêndios é a educação ambiental e o investimento em turismo vem como estratégia para que incêndios provocados pela ação humana diminuam. Nesse sentido, as escolas têm papel fundamental na formação de cidadão mais conscientes.  “As obras não estão relacionadas diretamente com o incêndio, mas quanto melhor fizermos um trabalho preventivo menos perdas teremos nos períodos críticos de secas e no futuro”.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade