Publicidade

Estado de Minas CAUTELA

COVID-19: Sete Lagoas decide fechar ano letivo com aulas remotas

As escolas vão avaliar os conhecimentos dos alunos ao longo do ano e validar as atividades. No ano que vem, estudantes com dificuldades terão aulas de reforço


13/10/2020 16:26 - atualizado 13/10/2020 16:36

Município hoje possui 56 escolas e tem 15 mil alunos matriculados(foto: PMSL/Divulgação)
Município hoje possui 56 escolas e tem 15 mil alunos matriculados (foto: PMSL/Divulgação)
A Prefeitura de Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, bateu o martelo e decidiu não retomar as aulas presenciais nas redes públicas e privada neste ano.

No decreto publicado no último sábado (10), os alunos do ensino infantil, fundamental e médio, técnico ou tecnólogo continuarão tendo aulas de forma remota e fecharão este ano letivo sem voltar para as escolas.

A secretária municipal de Educação, Roselene Alves Teixeira, explicou que, como a prerrogativa a respeito da retomada das aulas é das prefeituras, a decisão foi tomada para que se pudesse definir os próximos passos em respeito à educação.

“O ano letivo já está no final. Esse momento é de equilíbrio. Se conseguirmos chegar ao fim do ano com as pessoas equilibradas e vivas já será uma grande conquista. Vários pais não iriam querer enviar os filhos para a escola. Eu não quero deixar minha filha ir para escola. Sem vacina não dá nem para começar o ano, principalmente porque temos professores em grupo de risco”, explicou a secretária.

Roselene ressaltou ainda as dificuldades para o retorno das aulas em meio à pandemia. “Temos seis modalidades de ensino, contando com a Apae e a escola técnica. O transporte [para escolas] do estado é fornecido pelo município. Tudo isso teria que atender as normas sanitárias. Precisaríamos de medidor de temperatura nos ônibus, do tapete sanitizante em todas as escolas. Os adolescentes teriam que usar máscara, respeitar o distanciamento e isso tudo é muito difícil. Além disso, o retorno, se houvesse, seria em forma de rodízio. Por tudo isso, decidimos no início da pandemia em suspender as aulas e agora reafirmamos em não retomar as aulas presenciais."

Em casa, os 15 mil alunos da rede municipal de ensino estão tendo aulas pela televisão. O material está sendo transmitido pela TV Câmara. A secretária disse que solicitou a todas as escolas que avaliassem o percurso dos alunos nesse ano letivo e que validassem as atividades, com aprovação deles.

Segundo Roselene, os estudantes que apresentarem dificuldade em algum conteúdo no próximo ano letivo serão acompanhados por professores da série anterior e até mesmo daqueles que atualmente estão lotados nas bibliotecas.

“Pela determinação do Conselho Estadual de Educação, os alunos que não conseguirem vencer as habilidades este ano serão trabalhados no próximo. Estou inserindo o professor da biblioteca nas atividades de reforço. Hoje as escolas já possuem esse reforço no contraturno, com aulas fora do horário regular.”

A grande questão hoje é saber se as aulas presenciais serão retomadas no próximo ano. Isso porque a promessa de vacina, a princípio em outubro, passou para dezembro deste ano. Mesmo assim, a vacinação de toda população leva tempo e é realizada por segmentos prioritários.

A secretária adiantou que está realizando dois planejamentos para 2021: com aulas remotas e outro com aulas presenciais. “Acredito que as aulas serão on-line. Estamos programando de duas formas porque não sabemos como será [no próximo ano]. Neste ano temos 15 mil alunos e no próximo serão 16,5 mil. É preciso ter cautela.”
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade