Publicidade

Estado de Minas NOVOS HÁBITOS

Esmeraldas: catadores fazem campanha para estimular reciclagem

Com a saída do lixão, profissionais se organizam para mobilizar a população e promover seu sustento


09/10/2020 13:48 - atualizado 09/10/2020 17:59

Com dois meses de funcionamento, os catadores arrecadaram 18 toneladas de materiais recicláveis em Esmeraldas(foto: Foto: divulgação/Ascamare)
Com dois meses de funcionamento, os catadores arrecadaram 18 toneladas de materiais recicláveis em Esmeraldas (foto: Foto: divulgação/Ascamare)
 

Nesta terça-feira (13) a Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Esmeraldas (Ascamare) começa uma campanha para ensinar as pessoas a separar o lixo para reciclagem. A campanha vai acontecer na Praça Getúlio Vargas, no Centro da cidade.

A associação foi criada há apenas dois meses e, antes disso, os moradores depositavam todos os resíduos em uma mesma sacola, que ia direto para o lixão da cidade. 

Nos dois meses dos trabalhos da Ascamare, foram arrecadadas 18 toneladas de recicláveis, três caminhões cheios de recicláveis prensados. De acordo com a catadora de recicláveis e tesoureira da Associação, Edna Mariana da Silva, o volume arrecadado pode ser maior. A meta final é ultrapassar as 18 toneladas em um mês.

“Com a divulgação do nosso trabalho, as pessoas vão começar a adquirir esse novo hábito. Ainda estamos em fase inicial do trabalho. Antes, os recicláveis iam até nós no lixão, hoje temos que ir até eles e estamos aprendendo a pensar em gestão, divisão do trabalho, renda e também em divulgação do nosso trabalho para os esmeraldenses", conta.


Ainda segundo a tesoureira da Associação, o valor da primeira carga foi abaixo do que estavam acostumadas a receber. Nos dois meses foi dividido entre os 18 catadores R$ 1.200 para cada, sendo que se fosse no lixão o valor seria seis vezes mais, em média. “Os recicláveis prensados têm maior valor agregado e o armazenamento no galpão é mais seguro e ocupa menos espaço.”

manifestação feita na porta da prefeitura reivindicando por melhorias (foto: foto: Divulgação/Ascamare)
manifestação feita na porta da prefeitura reivindicando por melhorias (foto: foto: Divulgação/Ascamare)
 

De acordo com a presidente da Ascamare e também catadora de recicláveis Elisania Aparecida dos Reis, a equipe de trabalho é composta por cinco homens e 13 mulheres e, quando o lixão foi fechado, em julho, os trabalhadores ficaram sem renda e sem material para vender.  “A gente precisa crescer, e vamos arregaçar as mangas."

Trabalho na pandemia

Há cinco anos na atividade de catadora, Elisania Aparecida dos Reis afirma que, no lixão, cada catador era responsável pelo próprio Equipamento de Proteção Individual (EPI) e que, com a COVID-19,houve uma assistência mínima da Secretaria de Obras Transporte e Trânsito de Esmeraldas.

“No lixão, nossos EPI's eram botas usadas, luvas usadas, chapéus e bonés. Quando chegou a pandemia, um funcionário da prefeitura nos forneceu máscara e luvas. Nós que providenciamos o álcool em gel, mas o produto não nos protege tanto. No lixão, os riscos de contaminação até por outras doenças são maiores porque os recicláveis ficam misturados com o chorume”, explicou.
   
Com a ida para o galpão, as necessidades de higiene foram atendidas. O novo local foi instalado próximo ao antigo lixão. 
 
Pontos de coleta de recicláveis em Esmeraldas:
 
Secretaria de educação de Esmeraldas 
Av. Tancredo Neves nº 29 - Fernão Dias – Esmeraldas- de 8h às 17h

Secretaria de Obras, Transporte e Trânsito
Rua Joaquim de Lemos Filho, nº 67 - Belverede – Esmeraldas- de 8h às 17h

Bar da Marta
Rua Professor Alvin Ribeiro, 157, Fernão Dias  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade