Publicidade

Estado de Minas CRISE FINANCEIRA

Escola Madre Paula comunica fechamento após 51 anos de história

No comunicado aos pais e alunos, a instituição informou que nos últimos anos houve desafios financeiros intensos, comprometendo a sustentabilidade do colégio


01/10/2020 15:10 - atualizado 01/10/2020 16:57

As atividades do colégio serão finalizadas em 31 de dezembro de 2020(foto: Divulgação/ Escola Madre Paula)
As atividades do colégio serão finalizadas em 31 de dezembro de 2020 (foto: Divulgação/ Escola Madre Paula)
Depois de 51 anos, a Escola Madre Paula - localizada no Bairro Providência, na Região Norte de Belo Horizonte - fecha as portas, se juntando a outros colégios que estão vendo o apagar das luzes em meio à crise causada pela pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). O anuncio foi divulgado, nessa quarta-feira (30), por meio de nota endereçada, principalmente, aos pais dos alunos matriculados na instituição de ensino. 

No comunicado aos pais e alunos, a escola informou que nos últimos anos houve desafios financeiros intensos, comprometendo a sustentabilidade do colégio. “A situação econômico-política do nosso país e a inadimplência das famílias unem-se a esta pandemia, que veio aumentar nossas dificuldades e instalar uma forte incerteza, geradora de insegurança frente aos desejados e imediatos dias melhores” diz o texto. 

“Depois de muito pedir a luz do Espírito Santo e de fazermos um estudo detalhado da condição financeira da entidade mantenedora, com profundo pesar e dor, comunicamos aos senhores pais e alunos, que a Escola Madre Paula não abrirá as matrículas para 2021 e encerrará suas atividades temporariamente no dia 31 de dezembro de 2020”, anunciou o colégio.

A escola também informou que as atividades acadêmicas continuarão normais até o fim do período letivo. “Continuaremos trabalhando até o final do ano com o mesmo compromisso, responsabilidade, empenho e respeito pelos alunos e suas famílias”. 

Além disso, a instituição reitera a necessidade de os pais honrarem com as mensalidades para que os salários dos professores sejam pagos. 

Bolsas

Por muito tempo a população atendida pela instituição era economicamente desprovida dos recursos necessários para viver, o que levou as irmãs Escolápias, responsáveis pela escola, a lutar e oferecer aos alunos um estudo gratuito. Mas, tendo em vista os constantes desequilíbrios econômicos, a escola se viu obrigada a projetar um caminho de estabilidade financeira para conseguir se manter – ofertar bolsas de estudo e cobrar mensalidades.

Há cinco anos, já em meio a crise econômica, a Associação Educacional Escolápia Feminina (Assedef) - ligada à Escola Madre Paula - lançou aos pais a oportunidade de serem os incentivadores do futuro dos próprios filhos. Para isso, a diretoria do colégio diminuiu o valor das bolsas de estudo esperando contar com uma ajuda maior dos responsáveis dos alunos durante esse momento difícil. 

Entretanto, a resposta da maioria não foi de acordo com o planejado pela instituição. Segundo o colégio, um grupo de pais retirou os filhos da escola e outro colocou o compromisso com a unidade de ensino em último lugar, gerando uma inadimplência que foi uma das responsáveis por minar as condições de sobrevivência da Madre Paula.  

História

A Escola Madre Paula nasceu do sonho das irmãs Escolápias de ir ao encontro das pessoas mais necessitadas e excluídas para levar-lhes, através da educação, o saber e a fé. As três irmãs - Madre dos Anjos, Maria Luisa e Josefina Francisca Lemos - abriram, em 1969, no porão da Igreja Santo Antônio, a Escola Madre Paula, que no decorrer do tempo acolheu crianças e famílias de várias classes sociais. 
 
 
*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade