Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Mesmo com a pandemia, governo garante que Minas cumprirá calendário de vacinações

Os cronogramas serão mantidos mesmo na pandemia. No dia 5 de outubro começa a campanha nacional contra poliomelite e multivacinas para crianças e adolescentes


25/09/2020 13:12 - atualizado 25/09/2020 13:26

(foto: Elian Guimarães/Reprodução TV Minas)
(foto: Elian Guimarães/Reprodução TV Minas)
O calendário de vacinações estabelecido pelo Minsitério da Saúde será mantido em todo o estado de Minas Gerais, assegurou nesta sexta-feira (25),  o secretário-adjunto de saúde Marcelo Cabral, durante coletiva virtual. Já no próximo dia 5 de outubro terá início a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomelite e Multivacinação (contra a meningite do tipo C, e tríplice viral, contra sarampo, caxumba e rubéola). O público alvo é de crianças e adolescentes em idades entre 0 e 14 anos.

O secretário lembrou que as famílias devem procurar as unidades básicas de saúde e levar o cartão de vacinação para atualizar e documento de identidade.

Ele recomendou que as pessoas evitem aglomerações nos postos e mantenham os protocolos indicados pelas autoridades sanitárias para evitar contaminação pelo novo coronavírus.  A Secretaria de Estado de Saúde (SES) lançou a campanha "Vacina Mais Minas" com informações que poderão ser acessadas pelo endereço www.saude.mg.gov.br/vacinacao 
 
Cabral anunciou também que o estado zerou as demandas do núcleo de judicialização da saúde. "Identificamos os problemas, estabelecemos padrões e processos para resolver as pendências que acabam por interferir na gestão em saúde do estado", destacou.

Segundo o secretário-adjunto, a maior parte das ações se referem a tratamentos e a medicamentos não disponibilizados pelas redes públicas e privadas de saúde e compras de medicamentos fabricados no exterior. Marcelo disse que a ação impactará na melhoria do atendimento à população.
 
Sobre reabertura de escolas nos municípios, o secretário adjunto ressaltou a "postura de diálogo do Minas Consciente". E acrescentou que nos casos do ensino básico e médio somente os municípios na onda verde poderão retomar, enquanto que no ensino superior está autorizado o funcionamento nas áreas de onda amarela. Ele ressaltou que trata-se apenas de uma "recomendação" do estado, mas a decisão final fica a cargo das avaliações dos gestores municipais.
 
Marcelo Cabral disse ainda que os gestores estaduais e o Comitê Extraordinário COVID-19 estudam novos protocolos com recomendações para flexibilização e combate ao coronavírus, que deverão ser compartilhados na próxima semana.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade