Publicidade

Estado de Minas Estado de alerta

COVID-19: Juiz de Fora caminha para a segunda onda de contágios, alerta prefeito

Número de pessoas internadas em leitos de UTI/SUS cresceu 25% em duas semanas; cidade registra 199 mortes


22/09/2020 19:05 - atualizado 22/09/2020 19:29

Prefeito reforça a importância em manter o isolamento social(foto: Divulgação/PJF)
Prefeito reforça a importância em manter o isolamento social (foto: Divulgação/PJF)
Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, pode entrar na segunda onda de contágios por COVID-19 nos próximos dias. O alerta foi feito pelo prefeito Antônio Almas, nesta terça-feira (22), após divulgar números crescentes de casos confirmados e de aumento em internações.

Em live pelas redes sociais, Almas se mostrou preocupado com a atitude de parte da população com relação à COVID-19 nos últimos dias. Mais uma vez, destacou a importância do isolamento social, pedindo "para quem puder ficar em casa, que fique, e quem precisar sair, só com segurança".

De acordo com a prefeitura, na semana de 30 de julho a 5 de agosto, o número de casos confirmados na cidade foi de 203. Na semana seguinte, subiu para 238, e nesta última, chegou a 358. O resultado é um aumento de 120 casos em relação à semana anterior.

Para o prefeito, que também é médico, os números não são favoráveis. A taxa de transmissibilidade subiu para 1,6. Isso significa que cem pessoas contaminadas transmitem para outras 160. Outro agravante reforça a preocupação: o número de pessoas internadas por coronavírus em leitos de UTI-SUS cresceu 25% em duas semanas.

"Nós não vencemos a batalha contra o vírus, apesar de a sociedade estar agindo de maneira diferente. Precisamos manter todas as regras estabelecidas para combater a COVID", alerta o prefeito. 

Mudança de onda

Apesar de o governo de Minas apoiar o avanço de Juiz de Fora para a onda verde do programa Minas Consciente, o comitê de enfrentamento ao coronavírus decidiu permanecer na onda amarela. 

“Essa nova onda de contágios está se dando em momento de flexibilização. Não teremos nenhum pudor em dar um passo atrás. Por isso, fomos conservadores em não dar um passo à frente, indo para a onda verde. Por isso, também, analisamos que não é o momento de volta às aulas presenciais”, explicou Antonio Almas em referência à tentativa de retorno às aulas pelo Colégio Militar de Juiz de Fora.

Na cidade, o número de casos está maior entre os mais jovens, que, apesar de ter menor índice de mortalidade, têm alto potencial de transmissão para grupos de alto risco, como pais e avós.

Casos

De acordo com último boletim epidemiológico municipal desta terça-feira, Juiz de Fora registra 199 óbitos por COVID-19. A cidade já tem 5.631 casos confirmados da doença. Os hospitais contabilizam 188 internações por coronavírus.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade