Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS EM BH

COVID-19: leitos de UTI e de enfermaria serão desmobilizados em Belo Horizonte

Ao todo, 153 vagas ficarão na retaguarda, mas seguirão sendo utilizados na base de cálculos de ocupação


11/09/2020 15:08 - atualizado 11/09/2020 16:05

Ao todo, 153 leitos de UTI e de enfermaria ficarão na retaguarda em BH(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Ao todo, 153 leitos de UTI e de enfermaria ficarão na retaguarda em BH (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Na coletiva que anunciou a autorização de abertura de lojas e shoppings aos sábados, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio do secretário de Saúde, Jackson Machado, afirmou que está desmobilizando 153 leitos de enfermaria e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com COVID-19. As vagas ficarão na retaguarda, mas serão utilizadas normalmente na base de cálculos que afere a ocupação de unidades.

A desmobilização de leitos, de acordo com Jackson, será feita por causa da melhora dos indicadores da COVID-19 em Belo Horizonte, todos no nível verde, considerado o mais estável, como a velocidade de propagação da doença, que está em 0,95, abaixo de 1, quando entra na fase amarela (atenção). As vagas ficarão na retaguarda e podem voltar a ser utilizadas por pacientes com coronavírus a qualquer momento.

“Como os indicadores nos permitem, vamos lentamente desmobilizar leitos de COVID e passá-los para a retaguarda. Essa transformação é reversível. A qualquer momento esses leitos podem voltar a ser de COVID”, disse o secretário, destacando que o Comitê de Enfrentamento à COVID-19 seguirá contando com os leitos desmobilizados na base de cálculos de ocupação.

“Estou avisando isso porque, certamente, na próxima semana, quando a gente desmobilizar mais leitos, esses indicadores podem subir um pouco. Então para efeito de flexibilização, o comitê decidiu que vamos usar como base o número máximo de leitos de enfermaria e de UTI que nós temos hoje, independentemente dos leitos disponíveis em determinado momento”, completou.

Atualmente, Belo Horizonte tem 1.713 leitos de enfermaria disponíveis, com uma ocupação de 42%. O chefe da pasta de Saúde informou, no entanto, que 101 leitos já foram desmobilizados. Desta forma, há 1.612 unidades ativas.

Já em relação aos leitos de UTI, que apresentam uma ocupação de 43%, a pasta da Saúde desmobilizou 52 unidades, reduzindo de 741 para 689 leitos possíveis para serem ocupados por pacientes com COVID-19.

“Não faz sentido pessoas com infartos, AVCs e traumas sofrendo esperando vagas sendo que temos leitos de COVID que podem abrigar essas pessoas”, concluiu Jackson.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade