Publicidade

Estado de Minas PREVISÃO DO TEMPO

Clima de deserto: umidade do ar na Grande BH pode chegar aos 12% nesta terça

Índice de umidade é comparável ao normalmente registrado nos desertos do Saara e do Atacama; termômetros devem chegar aos 31°C


08/09/2020 08:35 - atualizado 08/09/2020 12:08

Manhã de céu limpíssimo no Centro da capital(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A. Press)
Manhã de céu limpíssimo no Centro da capital (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A. Press)
Como é de praxe nesta época do ano, a capital e grande parte de Minas vivem um verdadeiro "clima de deserto": dias muito secos e sem registro de chuva.

Nesta terça (8), a umidade relativa do ar poderá chegar aos 12% nas regiões Metropolitana, Central, Sul e Triângulo - índices comparáveis a de desertos como o Saara e o Atacama.

"Nos últimos dias também vimos índices muito baixos de umidade. É normal, estamos no período seco e a massa de ar seco que atua sobre o estado favorece esses baixos índices", explica Claudemir de Azevedo, meteorologista do 5º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Nas regiões Norte, Noroeste, Campo das Vertentes, Zona da Mata e nos vales do Rio Doce e Jequitinhonha, a umidade fica entre 20% e 30%.

O tempo seco favorece céu claro e altas amplitudes térmicas - grande diferença entre as temperaturas mínimas e máximas. Na capital, os termômetros variam entre 16°C e 31°C nesta terça (8). Em Minas, a máxima será de 36°C no Norte e no Vale do Jequitinhonha, enquanto a mínima foi de 7°C, no Sul.

A previsão é que o tempo se mantenha estável em todo o estado ao longo desta semana. "A tendência é que os índices fiquem muito baixos pelo menos até sexta-feira (11). Na próxima semana deve já melhorar, mas ainda será de tempo seco", completa Claudemir.

Alertas com o tempo seco


O tempo seco requer alguns cuidados especiais com a saúde. Recomenda-se umidificar os ambientes com vaporizadores, baldes com água ou toalhas molhadas, além de se proteger do sol e abusar da hidratação. Outra orientação fundamental é evitar os exercícios físicos ao ar livre ou qualquer exposição ao sol nas horas mais quentes do dia.

A baixa umidade do ar também acende o alerta para riscos ambientais. O fogo se alastra com mais facilidade, sendo, assim, mais propício para incêndios de grande porte. Entre ontem (7) e hoje (8), chamas que atingiram a Mata da Baleia assustaram os moradores da capital. Estima-se que oito mil metros quadrados tenham sido tenham sido consumidos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade