Publicidade

Estado de Minas DESATIVAÇÃO

Governo planeja fechar Aeroporto Carlos Prates e transferir operações para Pampulha

Anúncio foi feito pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em conversa com deputados federais da bancada mineira


02/09/2020 14:25 - atualizado 02/09/2020 16:05

As atividades do terminal foram iniciadas em janeiro de 1944, com o objetivo de atender às primeiras gestões do Aeroclube do Estado de Minas Gerais(foto: Divulgação/Infraero)
As atividades do terminal foram iniciadas em janeiro de 1944, com o objetivo de atender às primeiras gestões do Aeroclube do Estado de Minas Gerais (foto: Divulgação/Infraero)
Em conversa com deputados federais da bancada mineira nesta quarta-feira (2), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse que o governo federal planeja fechar o Aeroporto Carlos Prates, no bairro homônimo, na Região Noroeste de BH. A intenção da União é transferir as operações do terminal para outros locais, como o Aeroporto da Pampulha, atualmente concedido ao governo de Minas, até dezembro de 2021.

Inicialmente, o Aeroporto Carlos Prates estava previsto para ser concedido à iniciativa privada no pacote preparado pelo governo federal. No entanto, o terminal foi excluído da lista. A intenção é desativar as atuais instalações e passar o terreno para a Secretaria de Patrimônio da União, que dará uma destinação à área.

“Com relação ao Aeroporto Carlos Prates, ele estava inicialmente previsto na concessão, mas os mais atentos devem ter percebido, pela minha fala, não citei o aeroporto. Por quê? Porque ele não será concedido. O que a gente vai fazer é transferir as operações do Carlos Prates para outros aeroportos, e aí, notadamente, a Pampulha, podemos discutir a questão Betim. A ideia é fechar Carlos Prates. É isso que está programado: a devolução da área (do Carlos Prates) para a Secretaria de Patrimônio da União, e aí a destinação, que pode ser para a prefeitura, para que algum projeto de interesse da sociedade seja realizado naquele espaço”, disse Tarcísio.

O terminal, que abriga o Aeroclube do Estado de Minas Gerais, é utilizado na formação de pilotos, aviação desportiva, manutenção, instrução, construção de aeronaves, entre outros. Moradores da região, em função de acidentes aéreos, pedem o fechamento do aeroporto. 

Em abril do ano passado, depois da queda de uma aeronave de pequeno porte, cujo piloto morreu, no Bairro Caiçara, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, descartou intervenção da prefeitura da capital para que o terminal fosse desativado.

“O prefeito é culpado de muita coisa, mas de avião cair. Vamos rezar para avião não cair, mas todo lugar que tem avião tem o risco de cair. Foi um acidente aéreo e nós não temos nenhum projeto. O que tinha era para construir prédio, para ajudar a construtora lá, eu enterrei. Vamos culpar o prefeito do que ele tem culpa. De avião cair, ainda não”, disse, na época.

Interior


Tarcísio também confirmou que os aeroportos de Uberlândia e Uberaba, no Triângulo Mineiro, além de Montes Claros, no Norte de Minas, estão previstas para entrar na sétima rodada de concessão de terminais.

Além disso, Tarcísio anunciou uma série de intervenções nos aeroportos do interior, como no Vale do Aço, onde, de acordo com o ministro, o governo investiu R$ 12 milhões para fazer a recuperação do Aeroporto de Ipatinga. Também estão previstas obras no terminal de Governador Valadares, no valor de cerca de R$ 33 milhões, além de Divinópolis e Patos de Minas.

Os aeroportos de Uberlândia e de Montes Claros, de acordo com Tarcísio, devem passar por ampliação no terminal de passageiros.

Acidentes


Desde que foi inaugurado, em janeiro de 1944, o Aeroporto Carlos Prates tem sua história associada a uma série de acidentes e à preocupação das comunidades próximas. Entre acidentes registrados em área urbana de Belo Horizonte desde 2008, apenas um não envolveu aeronave que tenha decolado do terminal.
 
2008
Setembro
» Um avião de pequeno porte cai no telhado de um depósito de materiais no Jardim Montanhês, em Belo Horizonte, instantes depois de decolar do Aeroporto Carlos Prates. O galpão pegou fogo após o impacto. Três pessoas ficaram feridas.

2012
Maio
» Uma aeronave de pequeno porte caiu em um barranco próximo à cabeceira da pista do Aeroporto Carlos Prates. A aeronave apresentou problemas mecânicos ao decolar e o piloto não conseguiu pará-la a tempo. Não houve feridos.

Agosto
» Um helicóptero AS 50 Esquilo caiu na cabeceira do Aeroporto Carlos Prates. O piloto e um aluno ficaram feridos. Por pouco não ocorreu uma tragédia, pois a queda aconteceu a cerca de 30 metros do Anel Rodoviário

2014
Outubro
» Um monomotor que havia partido do Aeroporto Carlos Prates precisou fazer pouso forçado entre Juatuba e Igarapé, na Grande BH. Três pessoas ficaram feridas

Outubro
» Um helicóptero, que também havia decolado do Carlos Prates, caiu nas imediações de Juatuba, na Região Metropolitana de BH. As duas pessoas a bordo da aeronave foram socorridas.

Novembro
» Outro avião de pequeno porte caiu sobre uma casa nas imediações do Aeroporto Carlos Prates. Duas pessoas ficaram feridas.

Dezembro
» Um avião de pequeno porte caiu sobre a pista do Anel Rodoviário. O piloto não sofreu ferimentos graves e conseguiu sair da aeronave depois de receber socorro de uma Unidade do Samu

2015
Junho
» Em 7 de junho, no penúltimo acidente aéreo com mortes na capital, o bimotor King Air prefixo PR-ABG caiu pouco depois de decolar, às 15h20, do aeroporto da Pampulha. Não houve vítimas em terra, mas os três ocupantes da aeronave morreram na hora.

2019
Abril
» Em 13 de abril, uma aeronave de modelo francês Socata ST-10 Diplomate colidiu com um poste em frente ao número 405 da Rua Minerva, no Bairro Caiçara, a mesma em que ocorreu o desastre de ontem, em meio a dezenas de moradias. O aparelho e arrastou parte da fiação. Segundo uma testemunha, o avião desviou de um prédio antes de cair, em frente às casas e diante de um lote vago, que poderia ser o alvo do piloto. 

Outubro
» Na manhã de 21 de outubro, uma aeronave caiu sobre carros no Bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte. A queda, que ocorreu na Rua Minerva, no trecho situado entre as ruas Nadir e Rosinha Sigaud, deixou três mortos e três feridos. O avião de pequeno porte modelo Cirrus SR 20, prefixo PR-ETJ, havia acabado de decolar do Aeroporto Carlos Prates, tripulado pelo piloto e três passageiros.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade