Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Em iniciativa inédita, testamento secreto é lido em audiência virtual em Varginha

Modelo on-line foi adotado por causa da pandemia do novo coronavírus; herdeiros pediram sigilo na leitura do testamento


31/08/2020 14:07 - atualizado 31/08/2020 16:13

Juiz mostrou aos participantes o envelope fechado, sem sinal de violação(foto: TJMG/Divulgação)
Juiz mostrou aos participantes o envelope fechado, sem sinal de violação (foto: TJMG/Divulgação)
Uma audiência virtual aconteceu em Varginha, no Sul de Minas, para a abertura e leitura de um testamento secreto. A videoconferência foi conduzida pelo juiz da Vara de Família e Sucessões Antônio Carlos Parreira.

 

De acordo com o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a iniciativa é inédita no país. “Em razão da pandemia, a orientação do TJ é no sentido de todas as audiências que forem possíveis serem realizadas por videoconferência, de modo a prevenir o contágio e a transmissão da COVID-19. Então, como os herdeiros necessitavam que o testamento fosse aberto e lido, para seu cumprimento, resolvi fazer a abertura por videoconferência”, explica o juiz.

 

Além do juiz, participaram da audiência os herdeiros, a advogada Renata Penha e o promotor de Justiça Mário Antônio Conceição. 

“Na verdade, não houve muita diferença do presencial, pois esse tipo de audiência tem um ritual que deve ser observado. Para esse tipo de audiência, a videoconferência não implica em redução do tempo de duração”, completa Antônio Carlos Parreira.

 

Segundo o TJMG, durante a audiência virtual, o juiz mostrou aos participantes o envelope, que estava fechado, sem qualquer sinal de violação. “Somente após essa demonstração é que o juiz corta as costuras, abre o envelope e retira o testamento. Depois, exibe o documento para os presentes, também observando se existe borrão, emendas, entrelinhas ou rasuras sem ressalvas”, diz.

 

O envelope foi aprovado pela tabeliã do 2º Ofício da Comarca de Varginha, Ana Maria de Moura. “Esse tipo de testamento secreto, também chamado de cerrado ou místico, é escrito pelo testador, ou por outra pessoa, e deve ser aprovado por um tabelião ou por seu substituto legal”, afirma.

Em sigilo

 

Após a leitura do testamento, o juiz perguntou para a advogada sobre a procedência do testamento e solicitou esclarecimentos sobre a morte do testador. “Feito isso, o testamento é lido para os presentes, lavra-se uma ata de tudo o que aconteceu e a audiência é encerrada”.

 

A audiência foi gravada em mídia digital. O processo é público, mas os familiares de Varginha pediram para manter o sigilo quanto à gravação da leitura do testamento.

 

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade