Publicidade

Estado de Minas PÉ NO FREIO

Atenção: rodovia em Contagem volta a ter radares após alto índice de acidentes

Cinco equipamentos já estão sendo instalados na LMG-808 em um trecho de oito quilômetros e devem entrar em operação dentro de 25 dias


28/08/2020 14:27 - atualizado 28/08/2020 14:48

Cerca de 120 acidentes foram registrados neste trecho entre janeiro de 2019 e junho deste ano(foto: Divulgação/Transcon)
Cerca de 120 acidentes foram registrados neste trecho entre janeiro de 2019 e junho deste ano (foto: Divulgação/Transcon)
Em um ano e meio, um trecho de apenas oito quilômetros da LMG-808, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, registrou 120 acidentes, de acordo com dados da Polícia Militar. A rodovia, que até maio do ano passado estava sob a responsabilidade do Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER-MG), teve os radares removidos pelo órgão estadual na transição da gestão para o município.
 
Agora, quem transita pela estrada diariamente, notou que os radares estão sendo novamente instalados. Nesse trecho serão cinco equipamentos, localizados nos quilômetros 1,9; 2,45; 2,7; 3,35; e 6,6.
 
A necessidade de se reimplantar o sistema de controle de velocidade se deu após estudos técnicos realizados pelo Departamento de Engenharia da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (Transcon), através da Gerência de Monitoramento Eletrônico, levando em conta as características viárias e estatísticas de acidentes, fornecidas pelos boletins da Polícia Militar, com vítima e sem vítima, ocorridos na via.

O primeiro trecho, no quilômetro 1,9, é o que mais apresentou acidentes entre janeiro de 2019 e junho deste ano. Foram 46 acidentes, o que representa quase 40% das colisões nesses oito quilômetros administrados pelo município. Em seguida, está o quilômetro 3,35, com 16 acidentes.
 
O mecânico Alexandre Carvalho, de 46 anos, transita pela LMG-808 quase que diariamente. Ele conta que já presenciou muito acidente grave nesse período em que a rodovia ficou sem os radares.
 
“Realmente precisa de radar porque muito motorista voa aqui. Já vi muita gente machucada e eu mesmo já socorri algumas pessoas. Os radares vão colocar um freio em muita gente”, afirmou.
 
Sobre o início de funcionamento dos equipamentos, a Transcon informou que os pardais eletrônicos ainda estão em fase de instalação e não estão funcionando. Após isso, os radares passarão por aferição realizada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), para só depois entrar em operação. Esse processo, segundo a autarquia, deve levar 25 dias.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade