Publicidade

Estado de Minas Apoio à ciência

Pesquisadores entregam carta a Romeu Zema em defesa à Fapemig

A carta foi redigida pelo Inteligência Coletiva, formado por professores e pesquisadores de instituições de ciência, tecnologia e inovação


28/08/2020 09:56 - atualizado 28/08/2020 12:34

(foto: Fred Bottrel/EM/DA PRESS)
(foto: Fred Bottrel/EM/DA PRESS)

O avanço do novo coranavírus em todo o mundo demonstrou a importância da ciência para o enfrentamento da doença, o maior desafio do século. No entanto, no Brasil, desde bem antes da pandemia, o campo científico vem perdendo recursos e formas de fomento.

Na manhã desta sexta-feira (28), um coletivo formado por professores e pesquisadores de instituições de ciência, tecnologia e inovação entregou ao governador Romeu Zema (Novo) uma carta de apoio à Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), a mais importante instituição de fomento à pesquisa no Estado.
 
Os pesquisadores pedem que o Estado retorne o orçamento da Fapemig, 1% do orçamento pelo que determina a constituição, e que a considere como instituição estratégica para o desenvolvimento. De acordo com pesquisadora e diretora da FioCruz Minas, Zélia Profeta, que integra o movimento, os cortes tiveram início em 2019. "Foram interrompidas cerca de 5 mil bolsas de iniciação científica", afirma.
 
Desde então, como pontua a pesquisadora, "a situação só piora" com o cancelamento de diversos editais de fomento á pesquisa. Ela lembra, no entanto, que a pandemia mostrou o quanto a ciência é fundamental. "Com a pandemia, a sociedade pode ver como a ciência e tecnologia são fundamentais para obtermos medicamento, vacina, equipamentos para hospitais."
 
Zélia afirma que as instituições seguem realizando as pesquisas com recursos próprios, mas é cada vez mais difícil, uma vez que também ocorreram cortes nos  orçamentos dos ministérios da Educação e Ciência e Tecnologia, órgãos aos quais muitas instituições estão vinculadas. A carta conta com a assinatura de mais de 300 signatários entre pesquisadores, professores e professoras de instituições de pesquisa no Estado. 
 
A carta foi redigida depois de evento realizado em julho pela secretaria regional de Minas Gerais da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC- MG).  A data marcou o primeiro encontro do Inteligência Coletiva, grupo que tem como objetivo organizar redes de interlocução e cooperação, em conjunto com a sociedade civil.

Na ocasião, foi discutida a importância de se investir em educação, ciência, tecnologia, inovação e  fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS) para o enfrentamento das crises impostas pela pandemia do novo
Coronavírus. 
 





receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade