Publicidade

Estado de Minas EDUCAÇÃO

Escolas serão incluídas com prioridade no Minas Consciente, diz sindicato

Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais se reuniu com governo de Minas para pedir data provável de retorno das aulas


25/08/2020 18:45 - atualizado 25/08/2020 19:23

(foto: Jair Amaral/EM/D.A. Press - 31/08/2018)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A. Press - 31/08/2018)

Escolas devem ser incluídas no programa estadual de flexibilização Minas Consciente. A informação é da presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG), Zuleica Reis, que participou na tarde desta terça-feira (25) de uma reunião com o Comitê Extraordinário COVID-19 do governo de Minas, na Cidade Administrativa.

“Não foi mencionado em qual onda do plano as escolas se incluiriam, nem a data concreta de quando isso poderia acontecer”, disse Zuleica, ressaltando que o Comitê prometeu incluir as escolas na retomada com prioridade e, “assim que possível, com foco na educação infantil”.

O Sinep-MG apontou preocupação com o surgimento de escolas clandestinas desse segmento educacional, como também o surgimento de “hotéis” para crianças, que funcionam no tempo em que os pais estão no trabalho, o que o sindicato sinaliza como risco para a segurança e a saúde dos estudantes.

“O Sinep-MG também trouxe a preocupação com a saúde mental dos alunos, que tem apresentado, segundo as próprias escolas e professores, aumento da ansiedade e depressão”, informou.

A expectativa do sindicato era de que fosse sinalizada uma previsão de retorno das atividades para que as escolas possam organizar seus calendários e os pais terem informações quanto ao ano letivo e às férias escolares. Mesmo ainda sem data prevista, o Sinep-MG disse que permanece junto aos órgãos públicos, “não por um retorno a qualquer custo, mas no compartilhamento de informação e à espera de uma previsão segura para a retomada das atividades”. Confira a nota divulgada pela entidade:

“Em mais de cinco meses de paralisação das aulas presenciais em Minas Gerais, o poder público não fez nenhuma menção a uma provável data de retorno, como ocorreu em diversos Estados que fazem o monitoramento diário e contínuo dos casos e dos índices de contaminação nas regiões. Uma previsão é fundamental para que as escolas e as famílias possam se organizar com antecedência. Como dito em todos os nossos comunicados enviados para as autoridades, poder público, diretores, professores, famílias e estudantes, o SinepMG não pretende antecipar ou pressionar o retorno das aulas presenciais, pois entendemos que essa decisão será definida pelos órgãos oficiais a partir dos dados que possuem da evolução da curva de crescimento e/ou de achatamento da Covid-19. O que se solicita é uma previsão, para que as instituições de ensino e as famílias possam se organizar. Devido à insegurança de muitos pais em levar seus filhos à escola, mesmo quando for possível e autorizado um retorno, o SinepMG defende que o retorno às atividades presenciais possa ser feito de forma opcional, sendo mantido, por opção das famílias em diálogo com as escolas, a continuidade das atividades remotas. No cumprimento de determinações dos órgãos de saúde para garantir o direito à educação com qualidade, à proteção à vida e à saúde de estudantes, professores, funcionários e comunidade escolar, exclusivamente nesse período de excepcionalidade, o retorno, quando autorizado, seria opcional e cada instituição poderia tratar da adesão ou não ao retorno presencial junto às famílias, professores e funcionários, sem prejuízos à saúde e à educação.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade