Publicidade

Estado de Minas INTERIOR

COVID-19: Prefeitura de Valadares vai multar bares por aglomerações

Comportamento no primeiro sábado da onda amarela, leva município a advertir que, em caso de reincidência, alvarás podem ser cassados


17/08/2020 15:08 - atualizado 17/08/2020 16:57

Bar da Esplanada, esquina de Rua Francisco Sales com Israel Pinheiro, com aglomeração(foto: Reprodução/Facebook)
Bar da Esplanada, esquina de Rua Francisco Sales com Israel Pinheiro, com aglomeração (foto: Reprodução/Facebook)
A Prefeitura de Governador Valadares informou nesta segunda-feira (17) que todos os bares e espaços públicos que promoveram ou permitiram aglomerações no fim de semana serão autuados e terão um processo administrativo aberto para a geração de multas. O município confirmou ainda ter recebido dezenas de denúncias sobre a violação das normas de distanciamento social principalmente no sábado (15), que marcou o retorno das atividades dos bares e restaurantes durante a vigência da onda amarela do Minas Consciente.

Em caso de reincidência, os estabelecimentos serão interditados e poderão ter os alvarás de funcionamento cassados, de acordo com o serviço de fiscalização da Prefeitura.

As denúncias foram feitas por telefone e por meio das redes sociais, com os internautas publicando vídeos dos locais com aglomerações. Os bares da Esplanada, bairro nobre da cidade localizado bem próximo ao centro, foram os que registraram o maior número de pessoas, a maioria de pé, ocupando o passeio público.

Na Ilha dos Araújos, outro bairro próximo ao centro e que possui muitos bares e restaurantes, motoboys promoveram buzinaço contra o que eles denominaram como maus-tratos que estariam recebendo de um proprietário de restaurante. O barulho incomodou.

Jovens na madrugada de sábado, fazendo festa em um posto de combustíveis na BR 116(foto: Reprodução/Facebook)
Jovens na madrugada de sábado, fazendo festa em um posto de combustíveis na BR 116 (foto: Reprodução/Facebook)
O caso mais curioso aconteceu no Posto Mirante, na BR 116 Rio-Bahia. Um grupo de jovens chegou ao posto por volta das 2h, na madrugada de sábado, e ocupou todo o espaço entre as bombas de abastecimento de combustível. A curiosidade é que esse posto não possui loja de conveniência, que os jovens notívagos chamam de “postinho”, local preferido pela maioria para comer e beber no fim de noite. 

Neste posto há apenas freezers com bebidas, que ficam junto às bombas. “Eles chegaram com tudo e foram logo atacando os freezers, ligaram o som de um carro e a festa rolou”, disse um frentista que pediu para não ser identificado, lamentando o prejuízo que o colega do caixa levou, no valor de R$ 170,00. “Na hora, não teve como controlar nada, os caras abriam os freezers, pegavam as bebidas, e não tinha como a gente saber quem pagou e quem não pagou”, disse o frentista. A Polícia Militar foi chamada e evacuou o local, sem que houvesse resistência ou 
demora.

Preocupação


A preocupação das pessoas que se manifestaram contra as aglomerações estava relacionada a um possível retrocesso nos critérios do Minas Consciente, fato que poderia levar Governador Valadares de volta à onda vermelha. Esse era o teor da maioria das postagens.

Junia Salomé, cantora e compositora, que teve COVID-19 em maio, disse que as aglomerações em bares são inadmissíveis. Segundo ela, "as pessoas brincam com a doença".

Números


No sábado, no último boletim epidemiológico da semana, o número de óbitos em 24 horas em Governador Valadares caiu 46% em relação ao dia 1 de agosto, quando o município aderiu ao Minas Consciente e apenas os serviços essenciais funcionavam. Nesse período, os bares funcionaram nos fins de semana apenas com o serviço de entrega ou retirada no balcão. 

Apesar do índice positivo em relação aos óbitos e do percentual mais baixo dos últimos meses na ocupação dos leitos de UTI (45,8%), houve muitas críticas em relação ao número de óbitos em investigação, que se mantém na casa dos 30 há várias semanas.

A manutenção do número leva muitas pessoas a levantar suspeitas de que a Prefeitura esconderia o verdadeiro número de óbitos por COVID-19. A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que, em tempos de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, “todos os óbitos são investigados de acordo com protocolos determinados pelo Ministério da Saúde (MS)”. 

A secretaria explicou que, diante do possível diagnóstico para infecção da COVID-19 e dependendo do tipo de teste a que o paciente foi submetido, são feitas análises de material coletado e do prontuário com histórico dos pacientes, situações que podem necessitar de um espaço de tempo maior para estudos de confirmação.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade