Publicidade

Estado de Minas CLIMA

Massa de ar seco eleva a temperatura em Minas e exige cuidados

O tempo seco fará com que o céu fique de claro a parcialmente nublado ao longo de todo o fim de semana. Defesa Civil de BH emitiu alerta de baixa umidade válido até as 18h de domingo


15/08/2020 06:00 - atualizado 15/08/2020 08:22

Instituto Nacional de Meteorologia prevê máxima de até 29°C a partir de amanhã na capital(foto: LEANDRO COURI/EM/D.A. PRESS)
Instituto Nacional de Meteorologia prevê máxima de até 29°C a partir de amanhã na capital (foto: LEANDRO COURI/EM/D.A. PRESS)
É hora de deixar os casacos e cobertores de lado – pelo menos por enquanto. O frio intenso e as rajadas de vento que chegaram a atingir 36km/h e fizeram com que a sensação térmica em Belo Horizonte chegasse a -1°C na semana passada deram lugar a uma massa de ar seco sobre Minas Gerais e que, neste fim de semana, intensifica a sensação de calor em BH e na maior parte de Minas. As temperaturas mais altas serão sentidas principalmente amanhã à tarde. "A máxima prevista para o fim de semana é de 29°C amanhã. A tendência é de elevação das temperaturas pela atuação da massa de ar seco", explica o meteorologista Claudemir de Azevedo, do 5º Distrito do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

O tempo seco fará com que o céu fique de claro a parcialmente nublado ao longo de todo o fim de semana. "Há uma intensificação dessa massa de ar seco nesse período, algo natural do inverno", completa Azevedo. A Defesa Civil da capital emitiu alerta de baixa umidade válido até as 18h de domingo. Segundo o órgão, os belo-horizontinos precisam ficar atentos à hidratação durante o período, já que os índices devem variar entre 30% e 20%, valor abaixo do recomendado pela Organização Mundial da Saúde. A previsão de tempo seco com céu aberto é válida em praticamente todo o estado, com exceção dos Vales do Jequitinhonha, Rio Doce e Mucuri, onde há maior umidade em virtude de nebulosidade vinda do litoral.

CUIDADOS  

Comuns durante o inverno, as doenças respiratórias são mais propensas durante as oscilações climáticas desta época do ano. Com a pandemia do novo coronavírus, a preocupação é ainda maior, já que o tempo seco e a baixa umidade relativa do ar são fatores que contribuem para a redução dos mecanismos de defesa do organismo e para o aparecimento das doenças respiratórias.

A reportagem do Estado de Minas conversou com a pneumologista pediátrica Cláudia Ribeiro de Andrade, professora do Departamento de Pediatria da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que explica mais sobre os efeitos dessa condição climática na saúde da população. “Os riscos que o tempo seco podem ocasionar à saúde são vários, como a irritação nos olhos, na garganta, ressecamento do nariz e das vias aéreas como um todo. A gente precisa dessas estruturas bem hidratadas, porque essa hidratação é um mecanismo de defesa que a gente tem. Se esses lugares ficam ressecados, favorecem a instalação de infecções virais, que hoje tanto nos preocupam, como o coronavírus e também infecções bacterianas, que podem causar sinusite e pneumonia, por exemplo”.

Além disso, a médica alerta que pacientes que sofrem com doenças respiratórias crônicas, como rinite alérgica e asma, podem ter os sintomas agravados em decorrência do ar seco e da alta concentração de poluentes na atmosfera em capitais como Belo Horizonte.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade