Publicidade

Estado de Minas NOVO PERIGO

Casos de síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica crescem em MG

Doença pode ocorrer dias ou semanas depois de uma infecção aguda pelo coronavírus em pacientes de 0 a 19 anos


13/08/2020 18:21 - atualizado 13/08/2020 19:13

Casos de síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica crescem em Minas(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Casos de síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica crescem em Minas (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Além da síndrome respiratória aguda grave, já comum em pacientes que contraíram ou não o coronavírus, um dado preocupante começa a assustar Minas. Em apenas uma semana, o estado registrou seis casos de síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (SIM-P), também associada à COVID-19. No último balanço da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG), divulgado na sexta-feira, duas pessoas foram diagnosticadas com a doença. 
 
A SIM-P pode ocorrer dias ou semanas depois de uma infecção aguda pelo coronavírus em pacientes de 0 a 19 anos. A doença é caracterizada por febre alta, lesões na pele nas extremidades e na boca. A síndrome foi diagnosticada tanto em crianças que testaram positivo para o coronavírus, como por aquelas que não tiveram a doença.

"Elas atingem pessoas hospitalizadas e há cometimento de vários orgãos e sistemas de forma grave. A Secretaria Estadual de Saúde tem orientado os municípios e serviços de saúde a realizar a notificação de qualquer caso suspeito de síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (SIM-P) potencialmente associada à COVID-19 e a avaliação desses casos segue recomentação da Organização Pan-Americana de Saúde do Ministério da Saúde, a partir do registro de casos dessa manifestação sindrômica. O estado tem sido interlocutor do Ministério da Saúde nessa atividade", afirma o subsecretário Estadual de Saúde, Marcelo Cabral.

Segundo o Ministério da Saúde, outros quatro estados já haviam registrado a doença até julho: Ceará (29), Pará (18), Piauí (2) e Rio de Janeiro (22), onde ocorreram três óbitos. Por causa do aumento da enfermidade, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) emitiu comunicado de alerta acerca da doença.
 
Países como Reino Unido, Espanha, França, Itália, Canadá e Estados Unidos também registraram casos da SIM-P em crianças e adolescentes. No mundo, há relatos de mais de 300 pessoas com a doença.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade