Publicidade

Estado de Minas INTERIOR MINEIRO

Conversões no 'Mergulhão' serão revistas pela prefeitura de Valadares

Para evitar os abusos dos motoristas, prefeitura fará intervenções no local em caráter de urgência e anuncia início dos trabalhos até o fim desta semana


10/08/2020 16:47 - atualizado 10/08/2020 18:23

Acidentes no 'Mergulhão', em Valadares, têm preocupado os habitantes da cidade.(foto: Tim Filho/EM/D.A Press)
Acidentes no 'Mergulhão', em Valadares, têm preocupado os habitantes da cidade. (foto: Tim Filho/EM/D.A Press)
As conversões proibidas na Avenida Minas Gerais, em Governador Valadares, nas entradas e saídas do “Mergulhão” (passagem sob a estrada de ferro Vitoria/Minas), estão com os dias contados. É o que garante o Departamento de Trânsito da Prefeitura de Governador Valadares, que vai fazer nos próximos dias, as intervenções na avenida e no acesso às ruas laterais. Os abusos dos motoristas têm causado vários acidentes graves, inclusive fatais. No dia 27 de junho, o motoboy Edmilson Modesto dos Santos, de 36 anos, teve morte instantânea. Um carro que seguia pela Rua Othoniete Fernandes, tentou entrar no Mergulhão pela contramão e derrubou quatro motociclistas de uma vez. Edmilson morreu no local do acidente.

O motorista que provocou o acidente e não teve o nome divulgado pela Polícia Militar, apresentava sintomas de embriaguez e foi preso graças a um detalhe inusitado. Ele fugiu do local dirigindo pela contramão, mas como a colisão com as motos foi muito forte, a placa de seu carro se desprendeu e ficou no asfalto. Com o número da placa, a polícia identificou o motorista e o prendeu bem próximo à sua casa.

No mesmo local em que ocorreu esse acidente, na tarde de 10 julho, um trator fez uma conversão proibida, no sentido bairro-centro, acertando em cheio um motociclista, que foi arremessado na outra pista da Avenida Minas Gerais, onde trafegam os veículos que sobem o Mergulhão, sentido centro-bairro. Apesar do forte impacto, o motociclista não se feriu gravemente.



Todos esses acidentes são gravados pelas câmeras de segurança de uma empresa localizada ao lado do Mergulhão e ganham grande repercussão nas redes sociais, causando revolta, especialmente dos motociclistas. Alexandre Pereira da Silva, de 33 anos, que atualmente trabalha fazendo entregas em sua motocicleta, disse que a única solução para o problema é construir uma mureta de concreto separando as pistas, de fora a fora, passando por dentro do Mergulhão.

A vereadora Rosemary Mafra (PSD) considerou absurda a situação nas entradas e saídas do Mergulhão. “Quando um motociclista perdeu a vida nesse mesmo trecho, há pouco mais de 1 mês, enviamos um requerimento à Secretaria de Obras e Serviços para que a estrutura básica de trânsito fosse instalada. No entanto a prefeitura não respondeu nossa solicitação e os acidentes continuam acontecendo”, disse, revoltada com mais um acidente ocorrido na madrugada de sábado, quando um carro fez uma conversão proibida e ocasionou mais um acidente.

Um motociclista que seguia no sentido bairro-centro bateu no carro e teve seu corpo projetado sobre o veículo. Apesar da violência da colisão, ele teve apenas ferimentos leves, mas acendeu a polêmica em torno do assunto “conversão proibida”.



A Prefeitura informou que está atenta ao problema e já preparou as intervenções que serão feitas no local e que até o fim desta semana colocará em prática o plano de obras, para evitar os abusos dos motoristas que fazem as conversões em local proibido, mesmo com as muitas placas de sinalização que estão instaladas no local. O Departamento de Trânsito da Prefeitura vai detalhar nesta terça-feira quais serão as intervenções a serem feitas em caráter de urgência.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade