Publicidade

Estado de Minas 14 TIROS

PM prende agiota e traficante que matou mulher por conta de dívida

Luana Cristina Amaral, de 25 anos, estava grávida de dois meses


03/08/2020 16:12 - atualizado 03/08/2020 19:45

(foto: Google Street View/Reprodução )
(foto: Google Street View/Reprodução )
A Polícia Militar de Betim prendeu um homem conhecido por “Marquinho”, cujo primeiro nome é Adriano. Ele é suspeito de ser agiota e traficante, e é acusado de ter assassinado com 14 tiros, na noite do último domingo, Luana Cristina Amaral, de 25 anos, que estava grávida de dois meses. A causa do crime seria uma dívida de R$ 5 mil com o bandido. 
Segundo o namorado da vítima, uma festa de confraternização acontecia no Condomínio Palmeiras, na Rua Pau Brasil, no Bairro Sítio Poções, em Betim. Ainda de acordo com a principal testemunha do caso, à noite, Luana Cristina foi até o apartamento de uma vizinha, no bloco 7 do residencial, para buscar mais cerveja, quando ocorreu o crime.

O homem conta que, quando Luana Cristina estava no segundo andar, já próxima ao apartamento onde pegaria as cervejas, os disparos foram ouvidos, momento em que ele correu para o local, com outros moradores, quando encontraram Luana Cristina caída, com sete tiros no abdômen, um na coxa direita, um na mão direita, dois no dorso e um no rosto.

Enquanto isso, "Marquinho" saiu correndo e escapou pelos fundos do prédio. Segundo testemunhas, o homem já tinha sido visto do lado de fora do condomínio.

Com a chegada da PM, o namorado disse que sua companheira já havia lhe contado que havia feito um acerto com o agiota “Marquinho” e que, para pagar a  dívida, tinha passado a traficar drogas e acabou presa no início do ano.

Ela teria contraído um novo empréstimo com o agiota para pagar um advogado que a tiraria da cadeia. Mesmo depois disso, Luana Cristina teria feito esse acerto com “Marquinho”. Mas o agiota continuava a perseguir a mulher, para que ela lhe pagasse R$ 5 mil. Segundo a vítima, essa dívida seria de seu antigo companheiro, que desapareceu.

O pai da vítima conta que a filha chegou a morar em Ibirité, e que depois de ter se separado do ex-companheiro, voltou a morar em sua casa.

A prisão de “Marquinho” aconteceu em Ibirité. Os policiais foram à casa dele e bateram na porta, sendo atendidos pelo próprio agiota. Interrogado, negou que tivesse cometido o crime e que não teria saído de casa. No entanto, ele foi reconhecido pelo namorado da vítima.

O caso foi registrado na Delegacia de Betim, onde “Marquinho” está preso.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade